Cadela da Polícia Civil doa sangue para salvar vida de cachorro que sofre com doença do carrapato

Por
em Notícias
A doação realizada no mês passado no Ceará foi para salvar a vida de um cachorro enfermo com a conhecida doença do carrapato.

Há situações que por maior que seja o empenho das pessoas em colaborar, apenas os animais podem ajudar uns aos outros, como no caso de doação de sangue. No entanto, o procedimento tão importante para salvar a vida dos animais, enfrenta um desafio: o baixo índice de doações em todo país.

Para ajudar a salvar a vida de um cachorro diagnosticado com hemoparasitose — popularmente conhecida como doença do carrapato, que atinge animais por meio da corrente sanguínea e provoca anemia profunda — a cadela Pallas da raça pastor-belga-malinois, integrante das forças policiais do Ceará, realizou a doação de sangue no último dia 15 de junho, em Fortaleza.

O procedimento foi de extrema importância, pois salvou a vida de um cão. Pallas só pode doar porque possui hábitos saudáveis. O que contribui para recuperação do animal que recebe a transfusão de sangue, pois o sangue está saudável e livre de qualquer contaminação. A atitude de Pallas incentiva a doação de sangue tanto entre os animais como entre os humanos.

“Doar sangue é um ato de generosidade. Que o exemplo da Pallas possa sensibilizar as pessoas para a doação”, disse o delegado, Pedro Viana, diretor da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas da Polícia Civil.

Fica o exemplo, até porque um dia pode ser a vez do nosso bichinho precisar, não é?

Critérios para doação de sangue entre cães:

  • Ter idade entre 1 e 8 anos;
  • O peso mínimo de 20 quilos;
  • Estar saudável, sem doenças e realização de transfusão ou cirurgias nos 30 dias anteriores;
  • Não realizar uso de medicamentos contínuos e está com a vacinação e vermifugação em dia. O intervalo entre as doações é de dois meses.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com