Profundamente triste após perder irmão canino, cachorro falece três semanas depois

Por
em Notícias
Afetado pelo luto do seu companheiro de vida, o cão não resistiu e morreu.

Quando vivem juntos, os animais se apegam tanto uns aos outros que é natural que passem a considerar-se irmãos, seja de sangue ou não. Fraternos como são, os animais também são afetados pela alegria, tristeza e a doença do irmão, e se não for fisicamente, será emocionalmente.

A história desses dois irmãos peludos, Jaxon, 4, e Toby, 6, de Nova Gales do Sul, Austrália, ilustra perfeitamente esse elo de amor que vai além da vida. A dona, Linda Raff, relembra como os dois cães eram inseparáveis, mas que as altas temperaturas do dia 11 de fevereiro contribuíram para que Jaxon não resistisse e morresse devido à exaustão do calor.

Repentinamente, Linda e Toby perderam aquele que muito amavam, no entanto, foi o cachorro quem mais sentiu e sofreu com a perda do seu melhor amigo. Tão rápido como a partida de Jaxon, Toby passou a apresentar um comportamento estranho e doentio. O cão passou a arrancar os pelos das patas e as costas desenvolveram feridas, provavelmente causadas pelo estresse e tristeza de ter perdido o seu irmão.

Preocupada, a família buscou todos os tratamentos possíveis para melhorar as condições de saúde de Toby — antibióticos, creme antibiótico e xampu medicamentoso —, mas nada resolveu e o seu estado piorou. Um veterinário disse à Linda que Toby pode ter tido uma doença auto-imune não diagnosticada e estava “tão [triste] e doente que desistiu e parou de lutar”.

O ápice da preocupação de Linda com o seu cachorrinho, aconteceu em uma manhã que ele acordou, parou de comer e beber e tremia incontrolavelmente. “Foi muito rápido. Eu estava dando-lhe um abraço quando ele morreu”, três semanas depois da morte de Jaxon.

É um acontecimento triste, mas para quem tem animais, sabe o quão apegados eles são uns aos outros e a morte de um deles acaba afetando profundamente o outro. “Vi que ele era apenas um garoto muito, muito triste depois que perdeu Jaxon, ele nunca se recuperou, morreu de um coração partido”, relata Linda.

Assim como a dona, os seus dois filhos ficaram devastados com a partida do Toby, que foi enterrado no quintal de casa ao lado do seu companheiro Jaxon. Ela disse que está consolada pelo fato de Jaxon estar “esperando o amigo do outro lado”.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com