Taxista socorre cachorro vítima de acidente de trânsito e o transforma em seu co-piloto

Com o acidente, infelizmente, o cão ficou paraplégico, por isso o taxista apela pedindo ajuda para que alguém com melhores condições o adote e o ajude a melhorar de vida.

Com tantas adversidades que os animais enfrentam, é animador ver que há pessoas dispostas a ajudá-los. O cãozinho que foi nomeado de Firulais, sofreu graves danos ao ser atropelado por um ônibus em Lima, Peru.

Ao saber da situação do cãozinho, o taxista Yuri Ynga se dirigiu imediatamente ao local para resgatá-lo. Sem ter com quem deixá-lo e precisando trabalhar, Yuri começou a levá-lo em suas corridas e, surpreendentemente, os clientes acolheram a ideia.

Foto: Reprodução / ED Edición Dominical
Foto: Reprodução / ED Edición Dominical

Infelizmente, paraplégico, o cachorrinho perdeu os movimentos das pernas traseiras e precisa usar fralda, então Yuri faz pelo menos três paradas durante o expediente para trocá-la. “Desde que o peguei, eu o tenho comigo no táxi e não tenho escolha a não ser tê-lo como co-piloto”, disse.

Foto: Reprodução / ED Edición Dominical
Foto: Reprodução / ED Edición Dominical

Naturalmente, Yuri se apegou ao cão o qual salvou a vida. “À noite, eu o levo ao parque para trocá-lo, lá descansamos um pouco e eu durmo com ele, assim, relaxamos juntos”, conta.

Acontece que o caso do cão é sério e ele precisa urgentemente realizar uma cirurgia, e embora ele seja apaixonado por Firulais, o motorista sabe que ele precisa de cuidados que ele não pode proporcionar.

Foto: Reprodução / ED Edición Dominical
Foto: Reprodução / ED Edición Dominical

Logo, o taxista faz um apelo através das redes sociais, pedindo que alguém com um bom coração lhe dê um lar e a vida confortável que ele merece. Enquanto isso não acontece, Yuri segue prestando toda a assistência e o amor que o cão merece.

Conheça um pouco mais da história de Firulais assistindo o vídeo abaixo:

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários