Carteiro de bom coração responde carta de garotinha que mandou uma correspondência para seu gato no 'céu'

Por
em Notícias
Comovido com as palavras e a dor da menina, o carteiro resolveu responder a sua cartinha em nome do gatinho e o resultado não poderia ter sido mais emocionante.

Ter um bichinho de estimação é um dos maiores prazeres da vida, e os momentos compartilhados ficam guardados para sempre na memória e no coração. A despedida, no entanto, se torna extremamente difícil, principalmente se a dona for uma criança.

Com apenas cinco anos, a menina Nevaeh Lowe, de Walton-on-Thames, Inglaterra, não conseguiu mais dormir desde que o seu gatinho, Tin Tin, faleceu.

Os pais de Nevaeh tiveram que sacrificá-lo no início deste ano devido a uma insuficiência cardíaca. Mesmo devastada, a pequena Nevaeh teve a ideia de escrever uma carta para o seu gatinho, se certificando que ele estaria bem, e o mais interessante, a menina a endereçou 'ao céu'.

Com a ajuda da sua mãe, Tamara, 26, ela enviou a carta para o correio, mas o que nem ela e nem a sua mãe esperava, era que a carta seria respondida. Ao se deparar com a singela cartinha de amor, um carteiro do Royal Mail decidiu respondê-la e o fez à altura.

“Quando mandamos a carta, não esperava que nada voltasse e acho que Nevaeh também não, mas foi importante para ela se despedir. Obter uma resposta era a última coisa que esperávamos, e estou muito grato ao Royal Mail e ao carteiro por escrever aquela carta e enviá-la para nós - e, claro, para os brinquedos também”, expressou a mãe.

Na carta resposta dizia o seguinte:

“Quero que você saiba que estou bem e que fiz bons amigos aqui, um deles, chamado Tibbles, ronca muito quando temos cochilos de gatos. Estou sendo alimentado e bem cuidado pelos anjos. Eu sei que você está triste por eu não estar aí com você, mas por favor, não fique. Aqui está um gatinho que eu pensei que se parecia um pouco comigo. Então, se você se sentir triste, pode abraçá-lo como nós costumávamos. Para sempre seu melhor amigo, Tin Tin”, e uma marca de pata.

Junto da carta havia um gatinho de pelúcia parecido com Tin Tin e um livro para que sua mãe lesse toda às vezes que ela se sentisse triste. Quanta sensibilidade, né? Mais tarde, Tamara descobriu que o carteiro e a sua família tinham gatinhos em casa, o que facilitou a compaixão com a dor da sua filha.

“Acho que ela realmente precisava de um encerramento para que pudesse começar a seguir em frente depois de Tin Tin, e o que esse carteiro fez realmente fez isso por nós”, disse Tamara. Desde então, Nevaeh conseguiu voltar a dormir tranquilamente e tem lidado melhor com a partida do seu melhor amigo. Que troca de experiências emocionante!

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com