Lulu da Pomerânia rejeitado por criadores por ser ‘grande demais’ é adotado e ganha vida que sempre mereceu

Por
em Notícias

Mesmo só possuindo qualidades, não são todas as pessoas que sabem apreciar à altura os animais de estimação. Algumas se limitam a olhar apenas para 'requisitos de estética'. Pena dessas pessoas que não sabem o que estão perdendo.

O Lulu da Pomerânia chamado Bertram é uma excelente prova disso. Ele foi abandonado pelos criadores com apenas cinco meses ‘por ser grande demais para a raça’. Ao contrário dos criadores, a nova-iorquina Kathy Grayson, dona de uma galeria de arte, encontrou Bert em um site de adoção e não demorou para se apaixonar pelo cãozinho de olhos apaixonantes. Pelo contrário, ela o quis desde o primeiro momento que o viu e não mediu esforços para voar até outro estado só para buscá-lo.

“Eu voei para Tulsa e dirigi até a cidade para buscá-lo, foi uma aventura maravilhosa. O abrigo ficou triste ao vê-lo partir, ele definitivamente tinha recebido um amor extra especial lá”, disse Grayson.

Desde a sua chegada ao novo lar, Bert não ganhou apenas o amor da dona, mas de grande parte dos frequentadores e clientes de Grayson que se apaixonaram perdidamente por ele. Bert se tornou tão popular que chegou até a ofuscar a beleza das pinturas da dona.

“Eu dei a ele seu próprio Instagram enquanto ele estava assumindo o controle da página da minha galeria de arte! Eu preciso postar pinturas e as pessoas só queriam ver Bert.” Parece que a ideia deu certo e atualmente Bart possui mais de 95 mil seguidores na rede social. Uma verdadeira estrela!

Não faltam motivos e qualidades para Bart ser bajulado, a dona faz questão de enfatizar que ele é um cãozinho realmente especial.

“Adoro quando as pessoas vêm à galeria para ver o Bertie ou quando trazem os seus cães para conhecer o Bertie! A galeria é gratuita e aberta ao público, então venha e faça carinho nele!” disse a artista.

Recentemente, ele completou 5 anos e comemorou seu aniversário com estilo.

Parece estar bem claro quem é que perdeu nessa situação, né? Com certeza não foi o Bart!

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com