Homem que teve uma perna amputada adota cachorro que era rejeitado em abrigo por ter três patas

em Notícias

Coisas ruins aconteceram com a cadela turca Popsey, mas o destino reservava boas surpresas à ela. Popsey foi abandonada pelo seu ex dono em um abrigo da Turquia em um estado severo de desnutrição e com uma das patas tão machucadas que teve que amputar a perna.

Além do histórico triste e desagradável, a cadela teve que lidar com a rejeição dos candidatos à adoção no abrigo, já que a maior parte das pessoas busca ‘cães perfeitos’.

Acontece que semelhante atrai semelhante e sempre há chances para ser feliz outra vez, ou pela primeira vez no seu caso. Ao saber da história de Popsey, o inglês John Hopkinson que também possui uma das pernas amputadas, decidiu que queria compartilhar a vida com ela. O homem trabalhou no exército por 18 anos e, após voltar para casa, sofreu um acidente em seu novo trabalho e teve que amputar a perna.

Após ter contatado o abrigo que Popsey vivia desde 2016, John solicitou o pedido de adoção da cadela para que pudesse viver com ele no Reino Unido.

“Foi um encontro inesperado, mas quando ouvi que ela tinha três pernas, sabia que precisava levá-la. Sinto que ela precisa se proteger depois do que aconteceu. Mesmo tendo apenas uma perna, lutarei por ela. Vou cuidar dela e protegê-la e ela será capaz de me salvar. Estou com autoestima baixa. Ela vai me forçar a levantar para alimentá-la e levá-la passear”, disse John.

Eram altas as despesas médicas e de transporte, mas graças a doação de pessoas que se engajaram em colaborar com a situação, o valor já foi praticamente alcançado. Os custos totalizam cerca de 1000 libras (R$ 6.600,00) e as pessoas já doaram 920 (R$6.068,00) para a causa.

“Esse pequeno cão será a minha vida, minha alma... e mal posso esperar para conhecê-la e ela me devolver minha vida. Independência será o nosso nome do meio”, declarou o novo dono de Popsey.

Que encontro maravilhoso de vida, não é?

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com