Pit bull que foi rejeitado por ser "bonzinho demais", é adotado e constrói laço afetuoso com gatinhos da casa; assista

O dono do cão queria que ele fosse bravo e agressivo, o que não aconteceu, porque isso não fazia parte da sua natureza.

Pior do que os paradigmas impostos pela sociedade a respeito de certas raças, como pit bulls e rottweilers, são os donos que tentam despertar a agressividade nesses cães. Batendo, provocando, muitos donos acham que, assim, eles serão cachorros fortes e irão causar temor nas pessoas. Lamentável!

Foi isso que um jovem — atordoado — fez com esse cão, que possui mescla com pit bull. Ele costumava bater em seu cachorro, chamado Charlie, na tentativa de "fortalecê-lo". Quando o cachorro não revidou, o garoto o achou muito bonzinho e ele não queria esse tipo de cachorro, então o entregou a um abrigo.

Foto: Instagram / rescuedbymyrescues
Foto: Instagram / rescuedbymyrescues

A parte boa, é que Charlie se livrou das garras de uma pessoa ruim.

Ao saber da história do cão bonzinho, Maaria Cooper que vive em Cheshire, Connecticut, nos Estados Unidos, viajou mais de 300 quilômetros para buscá-lo, ela sabia que precisava ajudá-lo.

Foto: Instagram / rescuedbymyrescues
Foto: Instagram / rescuedbymyrescues

Maaria já tinha outros gatinhos em casa, especialmente adotivos que ela costuma acolher temporariamente, e o encontro deles com Charlie não poderia ter sido mais doce e amistoso. Charlie e o gato Darwin se deram tão bem que passaram a dormir coladinhos um ao outro. Coisa mais fofa!

Foto: Instagram / rescuedbymyrescues
Foto: Instagram / rescuedbymyrescues

Outra característica admirável de Charlie é que mesmo estando muito empolgado com a presença dos gatinhos, ele espera que eles tomem a iniciativa de se aproximar, para não assustá-los. Dá para acreditar em uma sensibilidade assim? Se tratando de animais, dá sim.

Foto: Instagram / rescuedbymyrescues
Foto: Instagram / rescuedbymyrescues

Tudo isso só mostra como ele é realmente um amor e só precisava de um lar à altura. Que bom que isso aconteceu!

Confira um pouco mais do doce Charlie:

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários