Pit bull traumatizada passa 4 anos presa em canil por ser julgada 'violenta demais'

Por
em Notícias

Há sete anos, a norte-americana Glorianne Lagnese tomou uma das melhores decisões de sua vida: ajudar Rose, uma cadela da raça pit bull, abandonada, a encontrar um novo lar adotivo.

A cachorrinha estava há meses em um abrigo ansiando por um pouco de atenção. Infelizmente, ninguém se dispôs a adotá-la pois pensavam que ela era ‘brava demais’.

Foi aí que Glorianne entrou em ação: uma amiga que era voluntária no abrigo convidou ela para acolher temporariamente a cadela e ver como a pequena reagiria.

Em poucos dias, Rose se adaptou super bem à mudança. Após algumas semanas de convívio mútuo, a norte-americana decidiu adotá-la em definitivo.

“Rose é uma cachorra muito amorosa - se dá bem com os outros cães, gatos e crianças pequenas, mas que tem muitos problemas envolvendo medo, devido aos traumas que sofreu. Não tinha confiança em si mesma. Às vezes, ouvia um barulho na casa e fugia e se escondia”, disse Glorianne ao The Dodo.

Para ajudar a cadelinha a superar o medo, ela começou a treinar Rose, que fez um progresso lento, mas constante. Infelizmente, um ano depois, algo inesperado aconteceu.

Alguém invadiu a casa de Glorianne e soltou todos os seus cães, incluindo Rose. Quando os vizinhos tentaram pegar os cães à solta, ela assustou-se e mordeu duas pessoas.

“Ela estava em um complexo de apartamentos, e eles a encurralaram para tentar contê-la, e ela ficou assustada. Pessoas que ela não conhecia a cercavam e ela não tinham para onde ir.”

Felizmente, os ferimentos não foram graves, mas os vizinhos chamaram a polícia e o controle de animais. Glorianne foi informada de que Rose precisava retornar ao abrigo e teria que ficar lá por 10 dias.

“Não tive escolha a não ser concordar. Eu a entreguei, seguindo as instruções, e eles me pediram dez dias de prazo. Esse prazo terminou, mas o canil não quis soltá-la”, relatou.

Os funcionários do canil disseram à Glorianne que Rose deveria ser sacrificada por ser um “cão violento demais”.

Ela ficou arrasada, mas não iria desistir de Rose - então se juntou à Thom Page, um advogado defensor dos animais que ajuda regularmente cães no corredor da morte.

Page começou a trabalhar de graça no caso de Rose, lutando para libertá-la do canil. O caso foi complicado e acabou sendo transferido para os tribunais federais.

A pobre Rose estava sofrendo no abrigo, enquanto Glorianne fazia o possível para tirá-la de lá. Ela passou o dia e a noite toda trancada no canil sem uma caminha macia ou brinquedos. Rose também carecia de atendimento veterinário, segundo Page. Para se consolar, ela pegou sua tigela de metal e a colocou na boca.

Glorianne e seu marido tentavam visitar Rose o tempo todo, mas os funcionários do canil só os permitia vê-la em sua gaiola por trás de uma cerca. Veja no vídeo abaixo:

“Tudo o que podíamos fazer era conversar com ela à distância… e foi muito difícil para nós e para ela. Foi horrível”.

O tempo foi passando e somente quatro anos e meio depois de muita luta nos tribunais Rose foi finalmente libertada do canil. Mas, para ganhar a liberdade, Glorianne teve que desistir dela.

A ONG Furry Friends Foster and Rescue, administrada por Leslie Rich, uma amiga de Glorianne, assumiu a responsabilidade pela cachorrinha. Rose, agora com cerca de 7 anos, está se adaptando muito bem à sua nova vida.

Rose ainda tem muitos meses de treinamento e reabilitação pela frente, mas finalmente estará disponível para adoção, e Glorianne quer ter certeza de que encontrará o melhor lar para ela.

“Quero um lar que a leve para passear, ame-a, dê-lhe guloseimas e a deixe dormir em uma caminha confortável”, concluiu.

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários