Criança vende todos os seus brinquedos para pagar tratamento de seu cachorro dobermann doente

Com apenas 10 anos, o menino sofre de ansiedade, tem crises de convulsão e teve a ajuda do seu amado cão muitas vezes, agora, é hora de retribuir.

Não importa quão grandes pareciam as dificuldades para esse garoto, de apenas 10 anos, ele estava decidido a cumprir o objetivo de salvar a vida do seu cachorro. Connor Jayne é uma doce criança que vive em Fairport, no estado americano de New York, ao lado da sua família e do seu cachorro Copper, um dobermann.

Copper, além de ser um querido animal de estimação, é um excelente cão de apoio e já deu suporte ao Connor em diferentes momentos difíceis, pois o garoto sofre de ansiedade e cefaleia crônica.

Infelizmente, o cachorro começou a mancar e o que a família achou que pudesse ser temporário, descobriu-se que era a doença de Wobbler - uma doença que afeta a região cervical e pode levar a disfunções neurológicas. O custo do tratamento é alto, mas o garoto sabia que precisava salvar a vida daquele que tanto lhe ajudou.

Sem medir esforços, Connor decidiu vender absolutamente todos os seus brinquedos em um bazar realizado por ele mesmo em sua casa. Entre os itens vendidos havia bonecos, livros e até um videogame.

“Ele limpou toda a sua sala de jogos porque era isso que ele queria. Ele é esse tipo de criança”, disse Jennifer, mãe de Connor, à Inside Edition.

Para contribuir com a admirável iniciativa do filho, Jennifer criou uma campanha de financiamento coletivo e começou a espalhar a história pela cidade.

A partir disso, a mídia local passou a retratar o caso e muitas pessoas ficaram comovidas com a história e passaram a contribuir com a campanha. A 'vaquinha' ultrapassou sua meta original de 2.800 dólares e arrecadou quase US $ 18.000. A família disse que iria doar a diferença para ONGs dedicadas à causa animal.

Com tantos resultados positivos, fica difícil acreditar que Copper não terá sucesso no tratamento, né? Muita sorte para esses dois anjinhos!

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com