Cão esquimó americano, amarrado do lado de fora de loja de carne na China, estende a pata para homem que o salvou

Por
em Notícias

Apesar de surreal, o consumo da carne de cães e gatos ainda é algo comum na Ásia, especialmente na China. Os animais domésticos, cada vez mais protegidos pela legislação brasileira, correm sérios riscos de vida na China, em alguns casos, os cães de raça até mesmo são roubados dos donos para serem sacrificados.

Ao encontrar um cão esquimó americano amarrado do lado de fora de uma loja de carne de cachorro na província de Jilin, no nordeste da China, um homem resolveu parar para acariciá-lo e se surpreendeu quando o cão, com expressão de tristeza, estendeu a patinha para ele.

Fosse um pedido de socorro, de carinho ou uma maneira de implorar para continuar vivo, o gesto comoveu o homem ao ponto de salvá-lo e levá-lo para casa. Yuan Yuan, como foi nomeado, conseguiu escapar da morte graças a bondade do seu atual dono, mas infelizmente, ainda é a realidade de muitos outros cães.

O dono de Yuan Yuan compartilhou o vídeo de quando o encontrou em uma rede social, sendo essa, uma maneira de apelar às autoridades por uma ação efetiva que proíba o consumo de cães e gatos.

“Veja como ele ficou com medo enquanto esperava para ser abatido na loja de carne de cachorro e como parecia esperançoso [enquanto esperava por um ser humano para salvá-lo]”, escreveu o proprietário na publicação no mês de outubro.

Veja o vídeo:

A vida, assim como o comportamento de Yuan Yuan, mudaram completamente desde que foi salvo e é isso que o dono pretende fazer por outros animais vulneráveis à crueldade que é permitida no país. Atualmente, duas cidades chinesas, Shenzhen e Zhuhai, proibiram os residentes de comer cães e gatos após a pandemia do coronavírus.

Wendy Higgins, do grupo de bem-estar animal Humane Society International (HSI), acredita que Yuan Yuan pode ter sido roubado de seu antigo dono antes de ser transportado para Jilin.

“O cachorro no vídeo respondeu à bondade humana oferecendo uma pata, um sinal claro de que esse cachorro era quase certamente um ex-animal de estimação, provavelmente roubado para o comércio de carne”, disse em entrevista ao Daily Mail.

Higgins reforçou ainda que cães e gatos em toda a Ásia precisam de leis robustas para protegê-los do comércio de carne.

“Essa é a única maneira de impedir o sofrimento deles”, observou.

Em maio, o Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China sinalizou que poderia proibir a carne de cachorro da mesa de jantar em todo o país, após classificar os cães como animais de companhia em vez de animais de fazenda. No entanto, nenhuma diretiva oficial foi emitida ainda.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com