Cão golden retriever obeso que seria sacrificado por dono é salvo, emagrece e vira cão de terapia

Sabe aquelas mudanças inspiradoras? Essa com certeza é uma delas!

Por
em Notícias

Como é triste pensar que há pessoas que escolhem se desfazer do seu animal de estimação quando este apresenta algum problema físico, emocional ou qualquer outro fator externo.

Se dependesse do seu antigo dono, o golden retriever Kai, de Alberta, Canadá, teria sido sacrificado por conta do seu sobrepeso, cujo resultado, foi irresponsabilidade do próprio dono.

Felizmente, a vida de Kai estaria prestes a ter uma reviravolta. Ao chegar no veterinário, ao invés de ser sacrificado, ele foi salvo pelo profissional. O médico veterinário se recusou a eutanasiá-lo e decidiu levá-lo para um abrigo, na esperança de que ele pudesse ter uma nova chance.

Como projetou, Kai foi adotado por uma pessoa maravilhosa que dedicaria o resto dos seus dias a melhorar a vida do cão obeso. Quando adotado, Kai pesava 70 kg, cerca de 45 quilos a mais do que o recomendado para uma vida saudável.

Segundo o Bored Panda, Pam Heggie foi a responsável por acolher e transformar a vida e o peso de Kai. Foi uma longa jornada de acompanhamento veterinário, prática de exercícios, caminhadas, hidroterapia e uma dieta equilibrada. Gradualmente, de uma maneira confortável para a adaptação de Kai à nova rotina, ele foi se acostumando e gostando da vida ativa.

O amor da sua família, é claro, teve influência direta na recomposição do seu corpo e dos seus hábitos. Mas com muito esforço, dedicação e resiliência, Kai conseguiu perder mais de 40 quilos e atualmente pesa 20 kg aproximadamente.

A dona não poupa elogios sobre o seu amado cão, que atualmente está com 12 anos.

"Minha coisa favorita sobre Kai é sua personalidade descontraída. Se eu pudesse escolher o cachorro perfeito para mim, seria a personalidade de Kai. Ele é engraçado, amoroso e muito tranquilo. Ele adora estar onde quer que eu esteja. Ele é realmente meu melhor amigo”, afirma Pam.

Apesar do triunfo no resultado, Pam recorda que sempre cedeu o tempo necessário para Kai se adaptar e se sentir confiante no processo de emagrecimento. Afinal, o período não deve ser tortuoso, mas satisfatório para o dono, e principalmente para o cão.

"No início fazíamos caminhadas curtas (literalmente 5 a 10 passos) três vezes ao dia. À medida que sua resistência melhorava, íamos mais tempo e com menos frequência. Agora caminhamos 30-60 minutos todos os dias", explica a dona.

Do sedentarismo, Kai passou a elencar várias atividades como as suas preferidas, e agora ele adora nadar, frequentar parques, andar de carro e viajar. Um verdadeiro aventureiro!

Além disso, após perder 45 quilos, Kai se tornou um cão de terapia certificado e começou a fazer visitas ao hospital. Ele ainda tem muito amor para dar às pessoas, mesmo depois de ter sido tão maltratado. Quem poderia imaginar uma reviravolta dessas?

Mas ficou claro o quanto Kai progrediu, passou a desfrutar de uma vida saudável e, ainda por cima, a melhorar a vida de muitas pessoas. Bravo, bravo, bravo!

Por que os golden retrievers são ótimos cães de terapia?

Eles têm uma sensibilidade única para captar as necessidades e sentimentos das pessoas. Nos hospitais, casas de saúde e clínicas privadas, eles continuam ajudando pacientes com o poder de uma mão amiga ou deitando seu focinho sedoso no joelho de alguém.

Embora há quem questione o prazer dos cães durante o desempenho, um recente estudo da Applied Animal Behaviour Science relata que os cães terapeutas nas enfermarias de câncer pediátrico não se estressam com seu “trabalho”, e na verdade demonstram se divertir na maioria das vezes.

No entanto, é primordial que os treinadores e os donos fiquem atentos ao entusiasmo do seu cão e não apenas a tolerância da situação.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com