Logomarca Amo meu PET

Mulher denuncia suposto sumiço do marido e é desmascarada por cão farejador no RS

Por
em Notícias

Uma mulher fez uma denúncia à polícia relatando que seu marido havia sumido misteriosamente. No entanto, quatro anos depois, ela foi desmascarada por um cão farejador da corporação.

Policiais encontraram o corpo do homem com a ajuda do faro de Bono, um cachorrinho ‘detetive’, além de uma denúncia anônima.

A mulher, identificada apenas como ‘Leda’, foi presa por assassinato e ocultação de cadáver. O caso aconteceu em Arroio do Sal, no Rio Grande do Sul.

Segundo o Cidade Alerta, um exame e perícia foram feitos na ossada do homem para comprovar sua identidade. O delegado Adriano Koehler, responsável pelo caso, espera concluir o inquérito em até dez dias.

Ele explicou que graças a uma denúncia anônima, as autoridades reuniram provas e conseguiram mandado para entrar na residência da criminosa, onde o corpo estava enterrado em um terreno da propriedade.

Lá, cães farejadores, liderados por Bono, um labrador marrom que também serviu o Corpo de Bombeiros na tragédia de Brumadinho, indicaram o local onde estavam as ossadas.

“Alguns ossos estavam cortados e quebrados, num sinal de uso de serra, serrote ou machado. Estavam dentro de um saco” contou o delegado.

Uma serra e um serrote também foram encontrados e serão periciados.

Saiba mais assistindo o vídeo abaixo:

Requisitos para um cão trabalhar como farejador

Os cães precisam passar por meses de treinamento, período em que aprendem a identificar os diversos tipos de cheiros, como os advindos de drogas, de carcaças putrefatas e o próprio cheiro de sangue humano. Também aprendem a se comportar em público.

A escolha dos cães farejadores também leva em conta o quão poderoso é o seu olfato. O emprego surgiu no fim dos anos 60, durante a Guerra do Vietnã (1959- 1975), quando o consumo de heroína entre soldados americanos tornou-se um sério problema para o Exército dos EUA.

Os doguinhos mais utilizados para a tarefa são os labradores, golden retrievers, pastores alemães e pastores belgas.

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.