Cão golden retriever ajuda a aliviar estresse de profissionais de saúde durante pandemia

Por
em Notícias

Com o objetivo de amenizar o estresse dos profissionais na área da saúde, o golden retriever Finn, de seis anos, vai semanalmente até o hospital Baton Rouge General em Luisiana, Estados Unidos.

Finn é um cão de terapia e há dois anos visita o hospital para trazer um suspiro de carinho e afeto para os profissionais. Com a pandemia, no entanto, a sua presença se tornou ainda mais especial e requisitada.

“Quando entramos em cada unidade vejo o alívio do estresse superar as pessoas. As enfermeiras e os médicos estão obviamente muito estressados ​​e, por isso, durante os poucos minutos que ele esteve no posto de enfermagem, houve um alívio”, disse o dono, Frank Ewing ao WBRZ.

Embora Finn tenha sido treinado para executar a tarefa, todos sabemos quanto amor um cão carrega em seu coração e em sua presença. Os profissionais, é claro, se sentem abraçados com a visita de Finn.

“É apenas uma sensação boa. Eu adoro cães. Eu amo animais de estimação. É apenas uma sensação de felicidade. Isso traz felicidade durante esses tempos difíceis”, disse a enfermeira do BRG, Leslie Taylor. “Ele traz uma sensação de conforto e relaxamento durante esses momentos estressantes”, completou.

Finn e Frank comparecem duas vezes por semana no Baton Rouge General e embora o propósito seja alegrar os funcionários e os familiares dos pacientes, eles também se sentem lisonjeados com a função.

“Nós gostamos. Isso nos mantém fora dos salões de bilhar”, concluiu Frank.

Cão de terapia

Os cães de terapia têm a função de reagir e responder às pessoas e ao seu ambiente, sob a orientação e direção de seu dono. Esses cães visam melhorar o funcionamento social, cognitivo e emocional de uma pessoa.

Conheça a história da psicóloga Tatiana e do seu cão golden retriever Thor, que atua como cão de terapia para famílias em luto, entrevistados no programa SBT e Você pela SCC SBT de Santa Catarina. Confira!

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com