Cachorra com câncer terminal ganha lista de afazeres divertidos antes de partir

Por
em Notícias

Uma das piores notícias que se pode receber é que seu animal de estimação não vai sobreviver por muito tempo. Isto aconteceu com Charlotte Mullarkey, de Exodor (Inglaterra), quando decidiu adotar Bumble, uma cachorra da raça american staffordshire terrier diagnosticada com câncer nos rins. Para a cadela aproveitar o máximo, a britânica decidiu fazer uma bucket list, uma lista de coisas para fazerem antes da cachorrinha partir.

A história de Bumble não era das melhores. Foi levada à Blue Cross, uma fundação de caridade que ajuda animais abandonados e maltratados, depois que seu antigo tutor a usou para ameaçar a polícia. Na fundação, a cadela conheceu Charlotte e foi amor à primeira vista.

Charlotte iria oferecer somente um lar temporário para a doguinha, quando notou que a cachorra estava urinando sangue. Quando a cadela foi castrada, descobriu-se um cisto no rim. Como os antibióticos não funcionaram, o órgão foi retirado e notou-se que havia um tumor perigoso. Bumble voltou a urinar sangue e ficou evidente que o câncer se espalhou para o outro rim. Os médicos deram poucos meses de vida para Bumble.

Ao tomar conhecimento disto, Charlotte decidiu adotá-la permanentemente. Não só isso, mas também resolveu criar uma bucket list para a cachorrinha. Uma bucket list é uma lista de atividades que alguém decide fazer antes de falecer, o termo veio da expressão kick the bucket (chutar o balde, em tradução livre) que significa falecer. O termo até foi usado em um filme do Morgan Freeman e do Jack Nicholson.

Alguns itens já foram riscados da lista de Bumble, como por exemplo, ir a uma praia, ganhar uma festa de aniversário, comprar um monte de coisa no pet shop, comer um puppuccino do Starbucks, etc. Ainda faltam atividades como sair de férias com a Charlotte e conhecer uma celebridade. Porém, a tutora diz não ter tanta pressa para cumprir a lista, já que o que importa é passar o melhor tempo possível com Bumble.

A cadela fez isto tudo além de ajudar a própria tutora. Como Charlotte comentou em uma publicação da Blue Cross difícil da vida, contudo a cachorrinha ajudar a levantar os ânimos com seu alto astral e seu jeito brincalhão.

O próprio time da Blue Cross, local em que Charlotte trabalha, decidiu ajudar e deixou a doguinha vir no trabalho com a tutora. Acontece que o jeito dócil e amável da cadelinha a transforma em uma cachorra de terapia não oficial. A bichinha costuma consolar as pessoas quando ficam tristes.

“Ela mudou minha vida” - comentou Charlotte.

Bumble também se tornou um membro fundamental da Blue Cross pelo seu jeito dócil e fácil com os outros animais.

Outro caso

Parte da jornada é o fim. E ter que dar adeus aos nossos bichinhos faz parte das nossas jornadas. Mesmo assim, sempre lembraremos do amor e carinho que eles nos proporcionaram. Bumble ainda está aqui, mas temos a história de Kenny também. Outro cachorrinho que tinha pouco tempo e passou o resto de seus dias aproveitando ao máximo.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Estudante de jornalismo que é apaixonado por tudo que tenha super-heróis, dragões e faroeste (ele se pergunta todo dia quando que vai lançar um filme misturando os três). Gosta de ler, com um favoritismo em fantasia (por que será?) e adora ver séries em geral. Ama estudar sobre criatividade e sociologia. Tem uma doguinha perfeita e sem defeitos chamada Athena. Também gosta de cinema e matar tempo nas redes sociais vendo memes.