Cadelinha encontrada rodeada de insetos ganha amor e reaprende a confiar em humanos

Margarida, como foi chamada, tinha a coleira grudada na pele, além de inflamações graves no intestino e útero devido a maus-tratos

Por
em Cães

Uma cadelinha foi resgatada do seu pior destino no litoral de São Paulo, em 11 de setembro. Margarida, como foi chamada, foi salva e adotada pela ONG Viva Bichos Santos.

A canina, que é uma mistura das raças Shih-tzu e Poodle, estava rodeada de insetos, feridas expostas, linhas amarradas nas patas traseiras, além da coleira grudada em seu pelo. E de acordo com os relatos, ela estava com “cheiro de morte”.

Segundo a presidente da ONG, Marilucy Pereira, a instituição estava realizando uma ação em um bairro do município de São Vicente, onde vacinava animais de moradores da região. Foi quando uma senhora falou com a equipe.

A mulher relatou ser do bairro vizinho, Vila Margarida, e que levaria sua cadela para ser vacinada. No entanto, a situação do animal surpreendeu a todos que estavam ali presentes.

“Assim que ela chegou, eu vi o estado do animal. Conversei com ela, pedi para que doasse para a gente, pois ela precisava de cuidados. Ela disse que a última tosa tinha acontecido há um ano”, contou a presidente ao portal do G1 .

Conforme as informações obtidas pela organização, a cadela era usada apenas para procriação, sendo seus filhotes vendidos por cerca de R$ 60,00.

Após ser levada e examinada em uma clínica veterinária, descobriu-se que Margarida estava com inflamações graves no intestino e no útero. Somente o processo de tosa levou mais de três horas.

A dona de casa, Roberta Matos, viu toda a história nas redes sociais e foi até o local para saber se a cachorrinha precisava de algo. Mas quem poderia imaginar que essa visita iria se tornar o primeiro passo de uma adoção.

“Fiquei feliz por ver a mudança dela, ver que realmente tinha um animal por baixo de toda aquela sujeira e insetos. Meu coração sentiu algo diferente e comecei a chorar, porque percebi que precisava cuidar dela”, observou Roberta.

Além disso, a dona de casa passou a visitar a cachorrinha diariamente, a fim de se acostumar com sua nova tutora. Ao final de setembro, Margarida conheceu o novo lar, onde vive com mais duas irmãs da raça poodles.

Infelizmente, os traumas marcaram a vida da cadelinha que ainda sente muito medo de pessoas, principalmente de homens, chegando a rosnar em determinados momentos.

“Parece que ela sempre está esperando o pior dos outros, então quero mostrar que ela pode confiar na gente. Eu olho para ela e tenho vontade de chorar, porque é triste ver um bichinho tão inocente sentir tanto medo, ficar tão na defensiva e ser tão submisso, por tantas coisas que passou”, destacou Roberta.

Mesmo com todos os momentos difíceis que já passou, Margarida demonstra estar superando seu passado aos poucos, é carinhosa e tem tido momentos felizes no novo lar.

“Parece que ela nasceu para nossa casa. Ela é um doce, mas acho que sempre faltou uma oportunidade dela mostrar esse carinho. A gente não vai poder consertar o passado, mas vamos proporcionar o melhor para ela daqui pra frente”, finalizou.

Confira o vídeo:

Uma jornalista quase formada de 21 anos, completamente apaixonada por futebol e animais. É daquelas pessoas que não podem ver um cachorro ou gato na rua que já quer fazer carinho... Do tipo curiosa, gosta de contar boas histórias e aquecer o coração de seus leitores. Um pouco indecisa para os títulos das matérias, confesso, mas dedicada ao ponto de procurar sempre escolher as melhores palavras. Prazer, sou Letícia Michele Schneider, atualmente moradora de Passo Fundo (RS), tenho o sonho de deixar o mundo um pouquinho melhor e quem sabe um dia estar à beira do gramado entrevistando os jogadores da dupla Grenal.