Cão que sofria maus-tratos e que nunca passeou conhece o lado bom da vida após ser salvo

Por
em Cães

Charlie vivia com acumuladores dividindo um espaço pequeno com outros 44 cachorros, até ser resgatado daquela situação pela RSPCA, uma instituição que ajuda animais da Inglaterra e do País de Gales.

Quando foi encontrado, o cão estava extremamente assustado e nervoso com o novo ambiente, permanecendo seis semanas no cantinho de seu canil.

Tudo era novo para Charlie, que nunca havia estado do lado de fora de casa, não conhecia o que era passear e muito menos usar coleira.

Mas com paciência e muito carinho todos os dias o cão mudava um pouco e mostrava confiança aos seus resgatadores, após quatro meses no canil o mesmo se sentiu corajoso o suficiente para conhecer o lado bom da vida.

“Ele é um cão diferente do animal nervoso e retraído que chegou aqui há quase um ano, e ele realmente merece encontrar um lindo lar depois de tudo o que passou”, disse Hayley Moorey, conselheira de comportamento e bem-estar da RSPCA.

Charlie já está no abrigo há mais de um ano, aproximadamente 300 dias, e atualmente encontra-se disposto para encontrar o lar perfeito. Todo esse tempo foi necessário para que curasse um pouco de seus traumas.

“Ele adora fugir da liderança com todos os seus amigos cachorrinhos aqui no centro e continua a se encontrar e desenvolver relacionamentos com diferentes membros da equipe. Ele adora receber carinhos de seus cuidadores principais e também dá muitos beijos! Tem sido uma jornada e tanto para ele, mas estamos maravilhados com seu progresso e com a oportunidade que ele tem agora de levar a vida que sempre deveria ter tido.”

A história de outros cães como Charlie poderia ter um desfecho completamente negativo, caso não houvesse o trabalho exemplar de voluntários como esses. Por isso a ajuda de todos é sempre bem-vinda.

Para ajudar cães nessa situação você pode se tornar voluntário de alguma ONG da sua cidade, sair para passear com os cães, ser lar temporário quando os abrigos encontram-se lotados de animais e até cuidar de uma cachorro comunitário do seu bairro.

No caso de Charlie a casa ideal para ele seria apenas adultos sem crianças, mas você pode ajudar aquele cão que se adequa ao perfil da sua casa. E é importante que a família o visite no abrigo para que possam criar um vínculo antes de ir para o novo lar.

“Sua pequena personalidade atrevida agora realmente apareceu, e ele mostrou a todos que o tempo e a paciência realmente compensam”, disse Moorey.

Só nos resta desejar boa sorte ao Charlie para que encontre a família perfeita.

Veja também este vídeo:

6 moradores de rua que EMOCIONARAM a internet por seu amor aos pets

Estudante de jornalismo na Universidade de Passo Fundo (UPF). Gosta de livros, animais e é vegetariana.