Sujinho, o gato que vive em uma ferrovia e certamente precisa de um banho

Fonte: >Bored Panda

Conhecida como a “estrada mais solitária da América”, a Estrada de Ferro Nothern Nevada é uma antiga relíquia ainda bem preservada do século XIX que atrai milhares de visitantes do mundo todo.

Os trens de ferro centenários, no entanto, não são a única atração turística da região. Vagando pela Ferrovia East Ely Depot Museum está Sujinho, o “gatinho da estrada de ferro”, um dos mascotes mais adoráveis do estado de Nevada.

Famoso por suas marcas bastante distintas, ele sugere a aparência de estar trabalhando o dia todo em uma locomotiva, coberta de carvão.

“Enquanto estamos participando da excursão pela ferroviária e estrada de ferro, ficamos impressionados com a riqueza histórica do local. Então, como se fosse ensaiado, o Sujinho sai de um dos trens coberto de sujeira como se tivesse trabalhado ali a manhã todo,” brinca um dos turistas.

A casa de máquinas da Ferrovia East Ely é a única casa que Sujinho já conheceu. Ele nasceu ali mesmo há 11 anos, e nunca mais saiu.

“A mãe dele cuidava dos filhotes dentro de um dos trens. Um a um, cada qual seguiu sua vida. Sujinho escolheu ficar e como recompensa, nós dávamos uma latinha de atum para ele se alimentar todos os dias. Com o tempo, ele virou nosso amigo”, diz Karolina Mencis, porta-voz do museu que cuida da antiga ferrovia.

O gatinho tem fama de ser mal-humorado, mas adora receber carinho e, sobretudo, rolar pelo chão de terra batida da casa de máquinas. Às vezes, escala os pinheiros do entorno, fuça os depósitos de carvão e dorme dentro das arcaicas locomotivas.

“Sujinho é na verdade um gato laranja e branco. Desde jovem ele fica rolando no chão sujo, além de entrar nos trens enferrujados. Com o passar do tempo, seus pelos brancos ficaram manchados de cinza e cor-de-ferrugem”, explicou Karolina.

Os turistas são fascinados pelo significado histórico da ferrovia, mas não se enganem: quem rouba o show ali é sempre o felino e seu comportamento imprevisível.

“Ele adora posar para tirar fotos e andar com o grupo de excursão pelo local. Esfrega as patas nos visitantes, os encorajando a acariciá-lo. Em suma, ele é o rei do show.”

Como muitos animais que viraram sensação online, Sujinho ganhou bastante popularidade quando o museu começou a fazer uma campanha de marketing nas redes sociais.

“Ele sempre foi popular na ferrovia, mas para manter o museu vivo, temos que continuar divulgando. Estamos em Ely, Nevada, uma cidade que fica 350 quilômetros distante de qualquer outra coisa construída pelo homem. Desde que cheguei aqui, começamos a trabalhar em nossas mídias sociais e temos crescido bastante nos últimos meses.”

No entanto, Karolina diz que a popularidade de Sujinho foi uma história de sucesso acidental: “Eu publiquei uma foto de Sujinho pela primeira vez há cerca de 2 anos e ele chamou bastante atenção online. Muita gente começou a perguntar sobre ele, onde morava, o que fazia… Nas publicações seguintes, ele começou a ganhar muitas curtidas, seguidores, pessoas do mundo todo perguntando. Não demorou muito para um fã-clube ser criado. Pessoas de todo o país passaram a vir aqui visitá-lo, tirar fotos, conhecer sua personalidade e fazer aquele tradicional cafuné nele. Em suma, todo mundo o adora.”

Agora, o bichano se tornou uma inegável webcelebridade, e graças às suas fotografias, o perfil do museu no Instagram já acumula 10 mil seguidores.

A cidade de Ely tem uma população de apenas 4 mil habitantes, enquanto o museu recebe cerca de 30 mil visitantes por ano.

Entre os visitantes, alguns fãs hardcore de Sujinho disseram a Karolina terem viajado até 1000 quilômetros só para conhecê-lo. “Eles adoraram conhecer a ferroviária, as estradas de ferro e o museu, mas sem dúvidas, tirar fotos com o Sujinho foi a atividade preferida desses turistas.”

Compartilhe o post com seus amigos!

Comentários