Cão vira-lata com medo de vacina foge de clínica e percorre 10 km em Curitiba

Por
em Notícias
Ele nem precisou entrar na clínica para saber que não queria fazer a vacina e andou cerca de 10 km de volta para casa.

Quem aí costuma fugir de vacinas? E quando eu digo fugir, é no sentido prático da ação. Bem, foi o que esse cãozinho fez.

Guardião, apesar de morar na rua, conta com o apoio de uma tutora que o alimenta e o cuida, há pelo menos quatro anos.

Pensando na sua saúde, Elaine Cortina que é de Curitiba, o levou para fazer uma vacina em um bairro um pouco distante de onde moram, que é o Novo Mundo.

O que ela não esperava é que, ao abrir a porta do carro, ele sairia correndo, muito amedrontado. Ela tentou pegar ele, mas o cachorrinho foi mais rápido e acabou desaparecendo de vista.

Elaine relembra que voltou para casa muito frustrada e chorando, preocupada com o Guardião. Ela resolveu então colocar nas redes sociais informações sobre ele, pedindo para que entrassem em contato caso o vissem.

Felizmente, 24 horas depois, ela já obteve respostas e descobriu onde o "fujão" estava. Para a sua surpresa, Guardião andou cerca de 10 quilômetros de volta para o bairro Novo Mundo. Muito cansado, ele não quis comer nem beber água, só queria dormir.

"Fui até ele e o vi dormindo embaixo de um caminhão. Foi muito emocionante", conta.

Imagina só o cansaço que ele sentiu ao caminhar tanto! Ainda bem que ele sabia o caminho de volta, não é mesmo?

No outro dia, Elaine o levou novamente para fazer vacina, e o canino dessa vez não fugiu. Em seguida, Guardião foi levado para um lar temporário, onde aguarda ser adotado.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com