Quase do tamanho do dono, cachorro enorme pede colo como se fosse um filhote

Crescer não significa deixar de gostar de um colinho, não é?

Detalhes estéticos, sobre tamanhos, pesos e medidas, definitivamente não fazem parte do entendimento dos cachorros, mas isso não importa, porque tudo o que eles têm a oferecer é amor. O cachorro Rowlf, da raça poodle de Newfoundland, é um perfeito exemplo disso.

Adotado ainda filhote pela família Pankhurst que vive no País de Gales, Reino Unido, desde o verão de 2018, Rowlf mudou drasticamente de tamanho, hoje, ele mede dois metros e meio de altura (quando está de pé sobre as patas traseiras). Um pouquinho grande, né?

Foto:  Kennedy News / Craig Pankhurst
Foto: Kennedy News / Craig Pankhurst

Acontece, que o ex filhote não se deu conta do seu tamanho e pede colo como se ainda fosse um. Tem como negar um pedido desses? Não, né! Resumindo, o dono Craig que lute para dar conta de pegá-lo no colo!

"Ele é uma lenda, é enorme. Ele realmente não sabe o seu próprio tamanho, ele pensa que é um cachorrinho ou o mesmo tamanho dos bulldogs”, diz Craig.

Não existe idade e nem tamanho para querer um colinho, não é Rowlf?

Ele continuou a dizer: "Ele ocasionalmente tenta pular no meu colo. É muito divertido quando ele faz. Ele pensa que é um cãozinho. Mas ele é tão gentil e surpreendentemente fácil de lidar em casa”.

Além de trazer alegria e diversão para a família, Rowlf também teve um papel importantíssimo e ajudou Craig a se recuperar de um momento delicado.

Há dois anos, Craig sofreu um derrame que o deixou incapaz de andar sem mancar e sentindo-se muito para baixo, nessa época que Rowlf entrou em sua vida e ele afirma que cuidar do cachorro realmente o ajudou a enfrentar o momento.

“Ele é divertido, enérgico e envolvente. Ele está feliz em parar, ser mimado e brincar com todo mundo. Ele foi comprado para a minha recuperação e tudo correu tão bem. Agora, seu papel é trazer felicidade e luz à caridade e a qualquer pessoa que se envolva com ela."

Nada mais justo, agora receber um colinho em troca depois de todo o suporte prestado ao dono, não é? Merecidíssimo!

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo.
Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários