Contaminada com coronavírus, mulher precisa ficar internada 22 dias e voluntários cuidam do seu cachorro que estava sozinho

Além da doença, a mulher teve que se preocupar como o seu cão que ficaria longe dela, mas felizmente, boas pessoas entraram em ação para ajudar.

O momento que o mundo está passando com o coronavírus têm sido bastante assustador, mas ainda há muita esperança e coisas boas para celebrarmos.

Glenda Tucker que vive em Oahu, Havaí, experimentou esses dois lados - o medo e a alegria com a doença. Diagnosticada com o COVID-19, Glenda precisou ser internada e deixar o seu cachorro Mana, de 5 anos, sozinho.

Além de todas as complicações por conta da doença, a mulher sem alternativas, ainda tinha que se preocupar com o seu cachorro e como ele ficaria longe dela. Ao todo, foram 22 dias no hospital e durante a internação, ela precisou do auxílio do ventilador para respirar, e segundo o médico, a expectativa dela sobreviver era menor que 10%.

Mesmo passando por um momento tão delicado, Glenda pôde contar com o apoio de estranhos que se encarregaram em cuidar de Mana, enquanto ela estava hospitalizada.

Os responsáveis por cuidar de Mana, eram voluntários do centro de valorização animal Hawaiian Humane Society.

“A idéia de ser hospitalizado sem saber se o seu animal de estimação seria cuidado, é provavelmente uma das coisas mais estressantes além da própria saúde, e queremos fazer parte da solução”, disse o diretor do centro, Daniel Roselle.

Que gesto maravilhoso! A equipe reforça ainda, que os cuidados se estendem a outros pacientes que se encontrem na mesma situação, e o melhor, de forma gratuita.

Depois dos 22 dias, Glenda finalmente estava pronta para ganhar alta e reencontrar Mana, que devia estar morrendo de saudades da dona.

Foto: Reprodução / khon2.com
Foto: Reprodução / khon2.com

A mulher saiu do hospital aplaudida por todos os funcionários que acompanharam a sua trajetória e o seu progresso vencendo o coronavírus e finalmente indo rever Mana.

Foto: Reprodução / khon2.com
Foto: Reprodução / khon2.com

Ao ver Glenda, Mana ficou euforicamente animado e fez questão de demonstrar isso pulando e abraçando muito a sua dona. Que momento especial, tenho certeza que todo mundo ficou feliz com esse desfecho! Viva a vida e os seus reencontros!

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários