Em home office, mulher explica as novas regras da casa para seus golden retrievers da maneira mais engraçada

Por
em Notícias

Mesmo que o trabalho seja feito em casa, é preciso organização e foco, para isso, esses cães precisaram colaborar e como bons garotos que são, assim fizeram!

Durante a quarentena, muitos serviços tiveram que ser adaptados, especialmente os que estão sendo feitos em home office. Enquanto trabalhar em casa possa apresentar muitos benefícios como o conforto e a autonomia, é imprescindível que haja organização e concentração para que as coisas sejam concluídas.

Ter os animais por perto nesse momento também acaba tornando o ambiente e as tarefas mais leves e divertidas, mas, a presença deles também pode ser motivo de distração.

Contextualizada nesse cenário, Rochelle Andonian que vive em Willoughby, Austrália, passou a trabalhar em casa, mas a companhia dos seus dois cachorros Salty e Bling, da raça golden retriever, acabaram comprometendo o desempenho das suas tarefas, como quando estava conversando por telefone com clientes e contatando colegas de trabalho e eles ficavam latindo.

"Agora que estou em casa, eles estão constantemente entrando no meu escritório e colocando bolas de tênis no meu colo ou colocando a cabeça na minha cadeira para serem acariciadas. Toda vez que estou em uma ligação com minha equipe, eles apostam em quanto tempo meus cães começarão a latir com alguma coisa", disse Rochelle.

Nesse momento, a mulher teve a ideia de treinar os seus adoráveis cães a não fazer barulhos enquanto ela estiver trabalhando, de uma maneira bem dinâmica, com direito a ilustração e apresentação.

Em um cartaz, Rochelle se desenhou usando o telefone e os cães aparecem proibidos de se comunicar com ela enquanto ela estiver nessa situação. Salty e Bling parecem muito compreensivos com a recomendação.

“Na segunda-feira, antes de iniciarmos nossa primeira ligação, enviei a foto à minha equipe e disse: 'Problema resolvido! Eles adoraram."

Mesmo estando ocupada, Rochelle aproveita o tempo com os seus ‘cãopanheiros’.

"Eles realmente me fazem sorrir, mesmo durante algumas reuniões on-line difíceis. Sinto falta do contato pessoal com meus clientes, mas com certeza gosto de passar mais tempo com meus cães. Posso dizer que eles também amam”, concluiu.

Não temos dúvidas que eles apreciam esse tempo com a dona, mesmo tendo que se adaptar!

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com