Deformidade não impede que cachorro com personalidade adorável seja adotado e ganhe uma família apaixonada por ele

Por
em Notícias

As marcas do ataque que sofreu pela própria mãe permanecem até hoje, mas isso não impediu que a sua nova família se apaixonasse por ele.

Aos 13 dias de vida, o pequeno filhote de pastor alemão com border collie foi atacado pela sua mãe que mordeu a sua cabeça, e causou graves lesões cranianas e faciais, o deixando com uma deformidade permanente. O acidente fez com que a mandíbula de Brodie se fundisse enquanto ele crescia, o lado esquerdo do rosto estava atrofiado e ele estava parcialmente cego de um olho.

Por muito tempo, Brodie viveu em um abrigo em Alberta, Canadá, e até chegou a ser adotado, mas a sua personalidade hiperativa fez com que os donos o devolvesse. Realmente, eles não o mereciam.

A repercussão da história de Brodie fez com que muitas pessoas quisessem conhecê-lo e adotá-lo, afinal, ele não era um cão comum e muitos sabiam disso, mas os sortudos em conseguir a sua guarda foi o casal Amanda Richter e Brad Ames. A equipe do abrigo foi criteriosa para a escolha dos novos tutores de Brodie, mas deu uma chance ao casal, que pareciam ser os pais ideais.

“Eu olhava as fotos dele todos os dias e até chorei algumas vezes. Por algum motivo, nos sentimos atraídos por ele”, disse Amanda.

Amanda e Brad foram conhecer Brodie e após algumas horas juntos, o levaram para casa no mesmo dia, tanto para o abrigo quanto para o casal, essa parecia a escolha certa.

“Ele é definitivamente hiper, mas é muito inteligente. Seu cérebro está perfeitamente bem e ele aprende truques em 10 minutos, geralmente o que me diz que ele é um garoto esperto. Ele só precisava de paciência e alguém para ser consistente. Ele melhora a cada semana”, revelam.

Desde então, Brodie e o casal tem vivido inúmeras aventuras especiais e emocionantes juntos. A aparência de Brodie é só um detalhe que o torna especial e único, todo o resto ele já tem.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários