Para suprir a falta do seu cão falecido, homem começa a adotar animais de várias espécies; assista

Por
em Notícias

Atualmente a família é constituída por cães idosos, peru, porco, peixes, galinhas e patos, se não me perdi nas contas, era isso.

A dor de ter perdido o seu cachorro, transformou Steve Craig em um ser humano muito mais solidário, capaz de ajudar vários outros animais que não tinham expectativas de ser adotados.

Steve que vive no Colorado, EUA, sentiu muito a perda do seu cachorro e sabia que para superar a falta, precisava adotar outro animal. “Eu estava tão perturbado. Um mês ou dois se passaram e eu ainda me senti tão horrível com isso. Decidi que a única maneira de me sentir melhor seria se algo de bom acontecesse.”

Inicialmente, Craig adotou Eeyore, um Chihuahua de 12 anos com uma série de problemas de saúde, mas que era muito especial. Acontece, que Eeyore foi só o início, a partir dele, Craig passou a adotar vários outros animais e inclusive de outras espécies.

Quando se deu por conta, o homem estava cuidando de oito cachorros, um filhote que sua irmã não aguentava mais e outro cachorro pertencente a um amigo, além de um enxame de galinhas, patos, gatos, um peru, um porco chamado Bikini e um cardume de peixes. Tá bom ou ainda acha pouco?

Entre essa turma, há alguns cães que são mais velhos e necessitam de alguns cuidados especiais, mas isso não importa para Craig, que sabe que eles precisam dele e ele deles.

“Foi tão imediatamente curador que eu sabia que isso era exatamente o que eu deveria fazer. É incrivelmente gratificante.”

As aventuras com a sua turma, rendeu um livro infantil chamado 'O único Wolfgang: do resgate de animais de estimação a uma grande família feliz', que também presta homenagem ao amado cão original de Greg, Wolfgang.

A rotina da família é compartilhada no Instagram wolfgang2242, que tem mais de um milhão de seguidores. Que bacana, né? Parabéns ao Greg que soube transformar a dor em amor para tantos animais carentes!

Conheça um pouco dessa turminha:

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com