Pit bull que era maltratado e seria sacrificado é adotado e cria vínculo amoroso com gatos da família

Por
em Notícias

O cão só não tinha tido oportunidade para demonstrar toda a sua doçura e amor, o que agora ele consegue expressar com a sua nova família.

É comovente perceber que mesmo sendo vítimas de maus-tratos e recebendo o pior que o humano pode dar, muitos animais conseguem fazer exatamente o contrário e oferecer todo o seu amor e lealdade, seja a quem for.

Esse pit bull, o Mack, teve uma experiência horrível com o seu antigo dono, que o prendia em uma árvore junto do seu irmão e os deixava sem água ou comida, em Hunterdon County, Nova Jersey, nos Estados Unidos.

O então dono tentava realocá-los, mas eles sempre voltavam para a casa que acreditavam ser sua, mesmo sendo indesejados ali. Durante o processo, eles foram parar em um abrigo e o irmão de Mack rapidamente ganhou um novo lar, enquanto ele, havia sido tachado de agressivo por conta da raça e ele seria sacrificado. Um funcionário do abrigo sabia que ele não merecia isso e passou a trabalhar e treinar o cão.

Trabalhando com Mack por quatro meses, Chris fez um milagre com o filhote assustado. A história do cão que carregava inúmeras cicatrizes dentro e fora de si, foi parar na internet e uma mulher chamada Analisa viu e se comoveu com o doce cão.

“A descrição é o que mais chamou minha atenção. Como um cão com uma vida tão terrível ainda pode ser tão grato aos seres humanos? Comecei a enviar e-mails com sua mãe adotiva, e ele parecia bom demais para ser verdade”, disse Analisa.

Felizmente, Analisa foi buscá-lo, e ao chegar em sua nova casa Mack se deparou com o seu novo irmão, o gato Bowser. Os dois não poderiam ter se dado melhor, e embora ainda não soubessem, eles realmente formariam uma dupla imbatível. Analisa acordou no dia seguinte com os dois juntinhos em sua cama. Que amor!

Além de se darem bem entre si, Mack e Bowser ainda são capazes de compartilhar o amor com outros seres, como com os gatinhos que eventualmente Analisa leva para casa para cuidar temporariamente. Veja:

Difícil acreditar que esse doce cão foi tachado de agressivo, né? Muito triste pensar que o rumo dele quase foi a morte. Ainda bem que o seu valor foi percebido por pessoas que o ajudaram!

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários