Após perder sua cadela, vítima de picada de cobra venenosa, mulher faz alerta para que donos redobrem cuidados

Perder a sua mascote foi muito doloroso, por isso, ela reforça atenção e cuidado dos donos.

Uma mulher passou por um difícil momento ao presenciar a morte da sua cadela Ruby. A família que vive em Sherborne St John, Inglaterra, estava passeando pela região quando Charlie Hailstone notou que Ruby estava inquieta e cheirando para lá e para cá, quando um barulho estranho assustou a ela e a sua filha, que correram em direção à cachorrinha. Ao se aproximarem, elas perceberam que Ruby estava gravemente debilitada.

"Estávamos no caminho, não muito longe de onde ela estava e de repente ela parecia muito doente.”

Rapidamente elas a resgataram e a levaram para o veterinário mais próximo, onde receberam a triste notícia: Ruby havia morrido.

Foto: Arquivo Pessoal / Charlie Hailstone
Foto: Arquivo Pessoal / Charlie Hailstone

O veterinário constatou uma mordida no pescoço de Ruby, causada pela única cobra venenosa nativa do Reino Unido, a vipera berus.

Mesmo com a administração do antiveneno, Ruby sofreu uma parada cardíaca e não resistiu.

"Eu nunca vi uma e andamos no The Vyne por 20 anos, porque sempre tivemos cães. Até o veterinário disse que não viu nenhuma nos últimos quatro anos”, declarou.

Mesmo com toda a dor de ter perdido a sua cadela de estimação, Charlie procura alertar outros donos de cães para que eles não passem pela mesma situação.

Foto: purbeck footprints
Foto: purbeck footprints

"Eu só quero que outros donos de cães estejam cientes, porque não tínhamos absolutamente nenhuma ideia de que a espécie estava lá. Não gostaria que nenhum outro dono de cachorro passasse por isso. Os dias desde o estranho acidente foram horríveis, porque ela era uma cadela maravilhosa e cheia de vida, com muitos anos pela frente”, lamentou.

Embora seja uma perda trágica, Charlie faz questão de lembrar de Ruby da melhor maneira possível. Desejamos força para a família.

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários