Viralizou no Twitter: dono narra paixão de sua cadela akita por gato misterioso do prédio

É uma daquelas relações que possuem interesse mútuo e que os dois se esforçam para ver um ao outro. Muito encantador!

Não há tempos e nem distâncias que podem impedir o amor de acontecer, mesmo que estejamos vivendo uma pandemia que instaurou o isolamento social.

Prova disso é esse — improvável — casal, um gato e uma cadela. Um usuário com o nome de Ari Noert, de São Paulo, narrou no Twitter os acontecimentos envolvendo a sua cadela com um gato do prédio, que resultaram nessa aproximação adorável e incomum. Tudo começou no dia 14 de junho e a publicação teve mais de 97 mil curtidas.

Segundo Ari, a sua cadela chamada Saori começou a espiar pela porta do apartamento todos os dias e nos mesmos horários, mas ele não entendia o porque, até descobrir o motivo do seu interesse que estava do lado de fora: um gatinho.

Foto: Twitter / @arinoert
Foto: Twitter / @arinoert

O felino não identificado foi nomeado por Ari de Gatin Veneno, influenciado pela música Menina Veneno. O dono de Saori chegou até mesmo a citar parte da música que representa o vínculo entre a dupla: ‘você vem não sei de onde, você vem me amar, eu não sei qual seu nome, mas nem preciso chamar... GATIN VENENO o prédio é pequeno demais pra nós dois’.

Bem, o interesse era recíproco e logo o gatinho foi bater na porta deles, dá para acreditar? Saori ficou bem animada com a visita e os dois tiveram uma intensa troca de olhares, com direito à aproximação e ‘lambeijos’.

Twitter @arinoert
Twitter @arinoert

Muito fofinhos, né gente?

Ari ainda deixou um recado para o dono (a) do Gatin Veneno: “Muito lindo seu gatinho. Ele combina com a Saori, ela é artista, antissocial e emo, mas é uma boa cachorra. Vamo fazer acontecer hein”.

Twitter @arinoert
Twitter @arinoert
Foto: Twitter / @arinoert
Foto: Twitter / @arinoert

Muito adoráveis! Quando o interesse é recíproco nada pode impedir, parece que nem mesmo a quarentena...

Acesse a thread abaixo e acompanhe os tweets que narram esse romance da quarentena:

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários