Idoso de 74 anos perde sua cadela e filha diz que seu pai chorava 'como uma criança'

condado no sudeste da Inglaterra

A fotografia de um idoso chorando sobre a sua cadela falecida está comovendo internautas do mundo todo e trazendo à reflexão o quão ligados os animais de estimação podem ficar com seus donos - e vice-versa.

A cachorrinha Maisie morreu sob circunstâncias trágicas.

Foto: Reprodução/Mercury Press
Foto: Reprodução/Mercury Press

Semanas antes, ela havia saído com seu dono, Tony Doll, 74, para um passeio em um parque de West Sussex, um condado no sudeste da Inglaterra. Durante a caminhada, Maisie foi subitamente atacada por outro cachorro, que não estava preso à coleira e mordeu a cadela.

Dias após o susto, a saúde de Maisie se deteriorou rapidamente. Levada ao veterinário, constatou-se que ela estava com septicemia, uma doença desencadeada por uma resposta inflamatória acentuada diante de uma infecção, na maior parte das vezes causada por bactérias - no caso, bactérias da boca do cachorro que a mordeu.

Essa reação é a forma que o organismo encontra para combater o microrganismo agressor.

Para isso, o sistema de defesa libera mediadores químicos que espalham a inflamação pelo organismo, o que pode determinar a disfunção ou a falência de múltiplos órgãos. Foi o que aconteceu com Maisie.

Foto: Reprodução/Mercury Press
Foto: Reprodução/Mercury Press

Em menos de um mês, a cadela faleceu.

A filha de Tony, Becca Chidgey, 29 anos, tirou uma foto do pai debruçado sobre o corpo de Maisie e publicou online na tentativa de encontrar o dono do cachorro agressor.

Foto: Reprodução/Mercury Press
Foto: Reprodução/Mercury Press

"Foi provavelmente o momento mais comovente de toda a minha vida, vendo meu pai de 74 anos chorar, muito parecido com uma criança chorando", disse ela.

“Ela não era apenas uma cachorra, era o mundo do meu pai, e eu quero algum tipo de justiça para ele, depois que minha mãe morreu, aquela cadela era sua salvadora, por isso é triste vê-lo tão mal, é de partir o coração."

"Decidi escrever o post na esperança de que o proprietário se apresente, mas mesmo que não o faça, quero conscientizar as pessoas sobre o que aconteceu.

Foto: Reprodução/Mercury Press
Foto: Reprodução/Mercury Press

Já vimos outras coisas postadas sobre esse cachorro antes, então espero que o proprietário veja isso e pare de deixar o cão solto, uma das primeiras coisas que meu pai disse é que ele não quer que isso aconteça com mais ninguém”.

No texto compartilhado, Becca anexou a foto do momento triste em que Tony se despede uma última vez de Maisie. A publicação foi compartilhada dezenas de milhares de vezes desde março.

O idoso voltou para casa, onde ainda tem a companhia de seus outros dois cães - Bruno, de 8 anos, e Âmbar, de 6.

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários