Ao perceber que dono ia sacrificar cadela, desconhecido intervém e pede para adotá-la

Por
em Notícias
Mesmo o dono insistindo que ela estava doente, e que não teria mais ‘utilidade’, o homem lutou por ela e transformou a sua vida para muito melhor!

Nada pode ser mais poderoso do que o amor incondicional, com ele, vidas podem ser radicalmente transformadas, assim como a vida dessa cadela foi. A sua vida teve uma reviravolta e tanto, e só ela sabe o quanto sofreu até chegar ao seu momento atual, mas o início da sua transformação foi quando ela foi levada ao veterinário pelo dono.

No entanto, não se tratava de uma consulta voltada para cuidados da sua saúde, pelo contrário, era para ser sacrificada. Enquanto o dono, um caçador ávido, tinha pressa em dar fim nessa preciosa vida sem dó e nem piedade, um estranho testemunhou o pedido, e um gesto quase que irracional, questionou a sua decisão.

Contido, o dono apenas disse que ela estava doente, mas o homem insistiu que ele mudasse de ideia e permitisse que ele pudesse levá-la para a sua casa, o que causou estranhamento ao tutor, já que ela ‘não era mais útil’. Mesmo alegando que ela estava doente, o homem não se importou com o seu estado de saúde, mas sim com a sua vida e depois de muita insistência, o dono permitiu que ele a levasse.

Segundo o portal de notícias Animal Channel, a cadela agora se chama Moira, que em grego significa destino, não só estava doente, como estava deprimida e tinha medo de qualquer pessoa que se aproximava dela. Em alguns passeios, inclusive, ela corria para debaixo dos carros, na tentativa de se esconder do próprio dono. Imagine pelos traumas que ela não deve ter passado, coitadinha!

Apesar disso, Moira teve um progresso positivamente sucedido. Ela foi submetida a terapia e, em apenas algumas semanas, ela começou a melhorar, desenvolveu o apetite e começou a ganhar confiança no seu novo dono.

Alguns meses foram o suficiente para transformar o comportamento de Moira, que ao invés de sentir medo e rejeição, passou a sentir confiança e todo o amor que a cercava. Ela engordou e se tornou um filhote muito amoroso e confiante. Hoje, ela tem uma enorme área externa cercada, onde pode correr e brincar.

Felizmente, o seu novo dono pôde ver o quão preciosa era a sua vida, lutou por ela e o resultado não poderia ser melhor! Final feliz para Moira!

Veja o vídeo:

O que diz a lei sobre o processo de sacrificar cachorro

A Resolução nº 1000, do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), de 11 de maio de 2012, dispõe sobre procedimentos e métodos de eutanásia em animais:

“Art. 3º A eutanásia pode ser indicada nas situações em que: I – o bem-estar do animal estiver comprometido de forma irreversível, sendo um meio de eliminar a dor ou o sofrimento dos animais, os quais não podem ser controlados por meio de analgésicos, de sedativos ou de outros tratamentos; II – o animal constituir ameaça à saúde pública […]”.

Segundo a lei há duas situações nas quais se indica eutanásia em cachorros:

1º Necessidade de eliminar a dor do animal quando não há mais recursos clínicos disponíveis.

2º O procedimento é indicado quando o animal representa algum risco para a saúde pública. Como, por exemplo, a doença chamada leishmaniose visceral canina, popularmente conhecida como calazar, que consiste em uma condição extremamente perigosa.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com