Cão bulldog inglês destrói completamente dois sofás avaliados em R$ 8.460

em Notícias
Ah, os filhotes, extraordinariamente fofos e meigos…

Os pensamentos que temos quando olhamos para um filhote remetem apenas coisas boas, em como eles são maravilhosos, fofinhos e inofensivos, o que de fato eles são. Bem, era o que eu pensava até conhecer esse filhote de buldogue inglês e que apesar de ter apenas um ano, é um destruidor de sofás nato.

A dona Julie Ann, de 64 anos, vive em Berwick Upon Tweed, na Inglaterra, junto dos seus seis cães, mas quem tem dado trabalho mesmo, é o caçula chamado Horris. Em menos de um mês, o filhotinho travesso destruiu dois sofás novinhos da residência, e não é exagero quando falo em destruição, afinal, não sobrou um único tecido intacto nos móveis.

O resultado do segundo sofá foi o que deixou Julie mais impactada com a capacidade destrutiva de Horris, que tão pequenino, conseguiu fazer tamanho estrago. Os danos aconteceram quando Julie estava fora de casa e nesse momento você pode questionar como ela poderia saber que foi ele, se há outros cães na casa, mas calma, a dona explica como descobriu o culpado.

“Ele estava abanando o rabo com este grande pedaço de espuma na boca como se dissesse 'olha o que eu fiz, mãe'. Ele sabia que tinha feito errado, mas não se importava. Se Colin, o cão pastor, errasse e eu dissesse ‘não’ a ele, ele ficaria de mau-humor, mas Horris olha para você como se dissesse ‘não sou maravilhoso?’”.

O primeiro sofá destruído custava 700 libras, equivalente a R$ 4901, o segundo móvel custou 500 libras, um total de 3501 reais. É, parece que se trata de um ‘prejuízinho’, hein Julie!? Em reais, a 'brincadeira' deu no total R$8.460.

Apesar da frustração com os danos nos móveis novos, Julie diz que o comportamento travesso de Horris pode se tratar apenas de uma fase e que, em breve, passará.

“O cachorro precisa saber que está errado ou pode continuar fazendo isso para sempre. Estou gastando tempo fazendo-o sentar e elogiando seu bom comportamento”, declara.

Para garantir, Julie afirma que não comprará um novo sofá tão cedo. Não precisamos nem questionar o motivo, né?

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com