Gorila é consolado por guarda-florestal depois de perder mãe em santuário na África

em Notícias
Além do homem consolando o animal na imagem, é possível vê-lo retribuindo o gesto em agradecimento.

Da mesma maneira que os humanos, os animais também possuem sentimentos e as perdas afetivas são igualmente dolorosas. Toda a empatia, portanto, é de extrema importância para eles e esse guarda-florestal provou que entende do assunto ao confortar um gorila que havia acabado de perder a sua mãe.

A cena do guarda consolando o gorila foi registrada pelo fotógrafo Phil Moore, depois que caçadores mataram a mãe do animal no Parque Nacional de Virunga, no leste da República Democrática do Congo.

Na imagem comovente é possível ver o animal profundamente abatido, enquanto o guarda, chamado Patrick Karabaranga, estende o seu braço nas costas do gorila tentando expressar, que apesar da dor, ele não está sozinho. Em resposta, o gorila estende os seus braços no colo do homem, provavelmente uma demonstração de gratidão.

Os guardas juntaram o gorila com três outros órfãos depois que caçadores furtivos mataram suas mães ou que traficantes tentaram ilegalmente exportá-los para fora do parque nacional.

A foto foi tirada em 2012, mas representa um cenário atual que expõe a perseguição e o sofrimento causado aos animais através da ação do homem. Apesar do incidente com a mãe do gorila, a região é altamente vigiada, por pelo menos 600 guardas florestais que atuam no santuário situado em um local profundamente afetado por guerras e conflitos armados.

Mais de 200 gorilas-das-montanhas vivem no parque nacional, o que representa cerca de um quarto da população mundial da espécie. Felizmente, eles estão cercados de pessoas, que além de dispostas a protegê-los, estão preocupadas com o seu bem-estar, o que é muito importante.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com