A Pequena e o Gigante: Filhote de chihuahua e dogue alemão se tornam os melhores amigos; confira

em Notícias

Não importa quão grandes são as diferenças entre eles, para os animais isso é o que menos importa em uma relação.

Por mais diferentes que sejam os rumos tomados na vida, os laços criados no momento presente são muito importantes e certamente serão levados para toda a vida. Esse, provavelmente é o sentimento que a chihuahua Bianca e o dogue alemão Shelby carregarão em seus doces corações.

Os cães, que vivem em Sebastopol, Califórnia (EUA), se conheceram depois que a dona de Shelby, Shirley Zindler, acolheu a pequena Bianca depois de a sua mãe ter morrido no parto.

Shirley é fundadora do Dogwood Animal Rescue, organização dedicada a cuidar e resgatar de animais. Foi através da organização inclusive, que ela adotou Shelby, que possui problemas de visões e até o momento já passou por quatro cirurgias, e recebe ainda, um tratamento diário.

Além do dogue alemão e da pequena chihuahua, Shirley cuida de mais 12 cães, alguns adotados e outros que ela está cuidando temporariamente, como é o caso da Bianca. Logicamente, os animais não sabem que eles estão de passagem, por isso, a construção de vínculos afetivos é tão natural para eles e entre eles. Sendo assim, Bianca e Shelby se aproximaram tanto que foi inevitável os dois se tornarem melhores amigos.

Enquanto Bianca servia como guia para o enorme cão, Shelby era o guardião perfeito para a cadela minúscula. O contraste das raças, tamanhos e idades, é certamente a coisa mais linda dividida entre eles.

“Quando a Bianca começou a crescer, começou a brincar e a se relacionar mais com a Shelby e foi muito especial. Shelby é muito doce e gentil, mas também tem um lado selvagem e brincalhão, enquanto Bianca é um pouco assustadora!”, disse Shirley.

Shelby ajudou Bianca a superar a perda precoce da mãe e ela, com toda a sua energia, pôde contagiar e preencher os dias do cão, mas depois de tantos momentos bons, os dois tiveram que se separar. Isso porque, Bianca foi adotada por uma nova família que já avaliaram que ela “é a melhor cadela do mundo”.

“Acho que os dois ficarão bem, eles são como crianças no acampamento que passam o verão inteiro juntas, mas seguem caminhos separados quando tudo acaba”, declarou a protetora. Esperamos que assim seja e eles fiquem bem, mas algo é certo, eles jamais esquecerão um do outro!

Confira abaixo momentos de ternura entre os dois:

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com