Meninas choram com surpresa dos pais que disseram que não iriam adotar filhote de abrigo

em Notícias

Enquanto as meninas choravam no carro profundamente decepcionadas com a mãe por não tê-lo adotado, o pai estava no abrigo buscando o novo - e muito amado - membro da família.

O desejo de quase toda criança está ligado em ter um animalzinho para chamar de seu. A curiosidade, o cuidado e a escolha do nome são algumas tarefas altamente desejadas de serem executadas pelas crianças. Toda essa alegria em cuidar de um bichinho, no entanto, é transformada em tristeza, e em lágrimas nesse caso, quando os pais não permitem que as crianças os adotem.

Julie Dawn, que mora em Coeur d'Alene, Idaho, nos Estados Unidos, é mãe de duas meninas e resolveu fazer uma brincadeira com suas filhas depois de terem visitado um abrigo de animais. Durante a visita, as meninas se apaixonaram imediatamente por um dos filhotes do abrigo e pediram à Julie para que pudessem adotá-lo, mas a resposta obtida foi o contrário do que elas gostariam de ouvir.

Aos prantos, é assim que a filha mais nova se encontra no carro, profundamente devastada com a recusa da mãe em adotar o filhote “tão fofo”. Apesar de não chorar como a irmã, a filha mais velha se mostra igualmente decepcionada com a mãe.

O que as meninas não imaginavam, era que Julie estava brincando com as filhas, pois enquanto as questionava sobre os motivos que tornavam aquele filhote tão especial, o pai estava no abrigo providenciando a adoção do cachorrinho.

Entre as justificativas apresentadas pelas filhas, foi dito que elas não encontrariam outro cachorrinho tão fofo quanto ele. Julie questiona, ainda, o que elas acham de tão especial sobre o cachorrinho, que, afinal, elas só se conhecem há um ou dois minutos, e é surpreendida pela filha mais nova. “Quando vemos coisas que são fofas, nós as amamos e queremos obtê-las.”

Já a filha mais velha dá uma resposta um pouco mais radical ao dizer “que vai se lembrar daquele dia até morrer”. Como a mãe ousa questionar o sentimento delas pelo doce filhote, não é?

Depois de muito diálogo sobre a adoção, o pai finalmente entra no carro com o foco do assunto: o filhote tão desejado pela família, e claro, as expressões das meninas mudam imediatamente.

O vídeo é emocionante, peguem os lencinhos.

Assista:

Felizmente a mãe estava de acordo com a adoção, caso não estivesse, teria perdido nos argumentos para as filhas que são tão sensíveis. Fofas!

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com