Cão de rua interrompe teatro em via pública para abraçar ator que fingia sofrer

Estar machucado era parte da história do personagem, no entanto, para o cãozinho a cena era tão real ao ponto dele ter que intervir e ajudar o ator.

Palavras se tornam indispensáveis quando falamos sobre o amor que os cães são capazes de oferecer. Sempre bondosos, os cachorros estão prontos para ajudar qualquer pessoa, até mesmo um desconhecido, como aconteceu nesse caso.

Durante uma apresentação teatral ocorrida em uma via pública da Turquia, um dos personagens, interpretado por Numan Ertuğrul Uzunsoy, estava caído no chão ferido, no entanto, tudo fazia parte do roteiro.

Foto: Facebook / Ìzmit Belediyesi
Foto: Facebook / Ìzmit Belediyesi

Um cãozinho de rua acompanhava atento a movimentação, mas diferente do público, o anjinho de quatro patas não percebeu que o homem estava encenando, então ele se aproximou e na tentativa de confortar o ator, o abraçou.

Surpreso, o homem se obrigou a quebrar o protocolo, sorrir e retribuir o carinho ao doce cão que havia se preocupado com ele. A cena, naturalmente, comoveu a todos que assistiam e, em seguida, o público iniciou uma linda salva de palmas.

Foto: Facebook / Ìzmit Belediyesi
Foto: Facebook / Ìzmit Belediyesi

“Fiquei muito feliz quando senti os beijos do cachorro”, disse Uzunsoy. “Fiquei muito emocionado. Ele era como um anjo que queria me ajudar. Foi um momento muito emocionante para mim. Eu não esperava por isso.”

Após a interação emocionante, o cãozinho se afastou do local antes que a apresentação terminasse, mas Uzunsoy afirma que voltou depois para procurá-lo e continuará fazendo isso até encontrá-lo. Apaixonado por animais, o ator está motivado a encontrá-lo e ajudá-lo a encontrar um lar, pois é o mínimo que ele merece depois de tamanha demonstração de afeto.

“As pessoas me disseram que ele geralmente anda por aí. Voltei hoje”, disse Uzunsoy. “Vou procurá-lo até encontrá-lo. Sempre amei animais.”

Confira no vídeo abaixo o momento em que o cachorrinho participou da encenação:

O cãozinho poderia não estar entendendo o que acontecia, mesmo assim, não mediu esforços para ajudar um desconhecido - que aparentemente - precisava de ajuda. Impossível não se emocionar com um acontecimento desses!

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários