Vaca que seria sacrificada por não produzir leite, é resgatada e agora faz questão de abraçar o seu dono; confira

Jenna, a vaca, faz questão de retribuir todo o carinho recebido pelo dono desde que foi salva por ele

Por
em Notícias

As pessoas estão acostumadas a ver em maior quantidade, cães e gatos sendo resgatados do que outros animais, porém isso não significa que eles não existam e não precisam de ajuda, pelo contrário, há muitos mais casos do que se pode imaginar.

Sem a ajuda do americano Ryan Phillips e da sua esposa Mallory Sherman, a vaca Jenna teria sido sacrificada ainda no início da sua vida. Isso porque Jenna nasceu com uma doença genética conhecida como Freemartin. Jenna não era fértil e também não produzia leite, deixando de ser interessante para a indústria de laticínios de Williamsburg, Virginia (EUA), segundo o site Zoorprendente.

Quando soube da sua história, Ryan, que possui um santuário de animais resgatados, resolveu intervir e salvar a vida de Jenna. Embora pareça incomum para grande parte das pessoas, as vacas também são muito expressivas e carinhosas, assim como os cães, e Jenna demonstrou toda a sua personalidade desde muito cedo.

“Jenna sempre teve uma personalidade plena e vibrante. Ele tem uma atitude muito divertida de saber que pode fazer qualquer coisa comigo”, expressa Ryan.

Com tanto carinho recebido, era natural que Jenna se apegasse ao seu dono e ela faz questão de expressar todo o seu amor por ele diariamente. Uma das coisas que ela mais gosta de fazer é abraçar o seu dono, que claro, retribui o gesto.

Quando Jenna não recebe seu abraço durante o dia, ela geralmente procura por Ryan e começa a bater em todas as janelas e portas até encontrá-lo.

“Ela nos encontra por uma janela e geme para chamar a atenção. Eu imediatamente saio para coçá-la ou brincar no jardim com ela”, explicou Ryan.

Veja o vídeo:

Viu só como é grande a diversidade animais que - precisam - e que podemos amar? Jenna é um lindo exemplo disso!

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários