Cães da raça Chow-Chow: adotar ou não? O quão agressivos eles são e como lidar com isso

Por
em Notícias

Apesar da aparência felpuda e amigável, os cães da raça Chow-Chow são conhecidos pelo comportamento arisco e ocasionalmente agressivo com estranhos, incluindo crianças e outros animais.

Trata-se de uma raça primitiva, altamente territorial e que costuma desafiar quem está ‘no comando’. Claro, eles podem ser criados para serem cães amigáveis ​​e amorosos, deixando seu instinto naturalmente ofensivo de lado desde jovens.

Temperamento do Chow-Chow

Apesar de citarmos esses cãezinhos num contexto maior (sua raça), é sempre bom lembrar que ‘cada caso é um caso’. Eles podem ter personalidades completamente distintas: uns são tímidos, outros extrovertidos; alguns mais territorialistas, outros mais carentes.

De toda forma, todo Chow-Chow costuma prezar por sua independência - gostam de ficar sozinhos e realizar atividades solitariamente. Não precisam receber altas doses de atenção, mas claro, eles adoram receber um carinho.

Não gostam de muito barulho

Isso pode ser uma surpresa para algumas pessoas. A reputação ocasionalmente agressiva que esses cães têm dá a impressão de que devem ser barulhentos, mas na verdade eles são uma raça muito quieta.

Claro, eles fazem barulho, mas apenas quando sentem que é necessário. Por exemplo, eles podem ficar perfeitamente quietos até ouvir ou ver um intruso. Nesse ponto, eles podem latir alto!

Se desinteressam pelas coisas com facilidade

Os Chow-Chows gostam de receber carinho, mas não o tempo todo. Quando eles sentirem vontade de chegar perto de você, eles o farão, mas não será por muito tempo. Na maioria dos casos, eles preferem passar mais tempo com eles mesmos do que com qualquer outra pessoa.

Se ele não estiver interessado, certamente irá ignorá-lo. Não há nada que você possa realmente fazer para chamar a atenção deles, a menos que seja algo que eles queiram.

São muito leais

Esses cães asiáticos são extremamente dedicados e leais, mas apenas para seu dono. Eles geralmente escolhem apenas um dono para se tornarem muito leais e os outros são pessoas secundárias em suas vidas.

Essa superproteção é uma das razões pelas quais eles podem ser agressivos (daí a necessidade de educá-los apropriadamente desde filhotes). A socialização com outras pessoas e animais de pequeno porte é muito indicada.

Dê a eles muito amor

Um cãozinho negligenciado pode facilmente se tornar um cão agressivo, então dar a eles todo o amor e atenção que merecem é crucial se você quiser ter uma boa companhia em casa.

Nenhum animal merece ser negligenciado, deixado sozinho por longos períodos de tempo ou deixar ser mal disciplinado, então certifique-se de tratar seu Chow-Chow com todo o amor e respeito que ele merece e ele crescerá e ficará bem.

Permitir a ele novas experiências é essencial

Sair com seu filhote e expô-lo a situações cotidianas é bastante necessário para que ele se sinta confortável e calmo quando for mais velho.

Um Chow-Chow geralmente não se sente confortável perto de estranhos, novas situações ou novos ruídos. Quanto mais experiências boas o seu doguinho tiver, mais longe de sua zona de conforto ele ficará, de modo que ficará melhor em lidar com coisas novas.

O Chow-Chow é ideal para você?

Em primeiro lugar, é saudável salientar que um Chow-Chow pode não ser uma boa raça para tutores de primeira viagem.

Sua teimosia instintiva vai entrar em ação se eles não forem criados adequadamente. Em outras palavras, dará trabalho ao dono!

Se você é um dono de cachorro relativamente experiente e tem muito tempo livre para ficar com eles quando são jovens, não se preocupe em ter um Chow-Chow. Se você está preparado para esforçar-se em criá-lo, cuidar de sua densa pelagem e estar bem com a ideia de que essa raça não é particularmente afetuosa em comparação com outras, eles podem ser perfeitos pra você! Esta raça pode ser certa para você.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.