Cachorro fica inconsolável sempre que visita túmulo de sua dona, falecida há 4 anos; vídeo

Por
em Notícias

O elo firmado entre um cão e seu tutor é tão forte que nem a morte é capaz de quebrá-lo.

Talvez não haja história mais poderosa que mostre isso do que a de Joha e Benito, divulgada pelo jornal espanhol La Vanguardía.

Joha era uma jovem argentina que vivia no município de Entre Ríos, na província de mesmo nome, até falecer tragicamente em 2016, vítima de um derrame.

Benito, seu cãozinho de estimação, jamais aceitou sua morte e continua visitando seu túmulo desde então. Para ele, é como se o tempo nunca tivesse passado; cada vez que visita o caixão de sua tutora, ele fica inconsolável.

Desde o falecimento de Joha, Benito acompanha seus familiares até o túmulo de Joha em visitas ocasionais. Ele se deita em cima da lápide dela com resoluta paz e não se levanta até a hora de partir.

Essa comovente história se tornou viral depois que Belén, irmã de Joha, postou um vídeo em sua conta no Twitter relatando o amor e resiliência do cachorrinho.

"Veja que amor incondicional. Joha é minha irmã, faleceu há 4 anos e ele é Benito, o seu animal de estimação, que a acompanhou durante os últimos 2 anos de sua vida e continua a fazê-lo até hoje", escreveu Belén no post.

No vídeo, há imagens que mostram diferentes momentos compartilhados entre Joha e Benito até dias antes dela falecer.

Desde que Joha faleceu, os irmãos e pais dela costumam levar o cachorro até o cemitério de tempos em tempos, onde ele se inclina para fora da janela do carro e corre para chegar ao campo sagrado.

Uma vez lá, ele exige ser erguido para se aproximar da imagem de sua dona, esculpida na lápide. Se não permitirem que ele faça, Benito começa a chorar e ficar inquieto.

O cão era como um filho para Joha e no pouco tempo que compartilharam juntos, deram um ao outro amor puro e incondicional. Descanse em paz, Joha.

Saiba mais assistindo ao vídeo abaixo:

Como ajudar um cachorro em luto?

Assim como os humanos, os cães também sofrem com a perda. É fácil identificar o luto do animal, as principais características são: perda de apetite, depressão, dorme demais, problemas no comportamento, ansiedade de separação e mudanças de personalidade. Ajude-o a superar esse momento, mostre que você está ao lado dele, cuide das necessidades físicas, crie uma rotina em que ele se sinta seguro, faça mais atividades físicas para que ele se distraia. Permita que ele passe o luto para que aos poucos ele crie um novo laço com outro humano ou animal. Seja paciente, o processo pode levar um tempo, o luto é sua maneira de honrar seu amigo falecido, assim como acontece com as pessoas. Passado esse momento, ele estará preparado par ter novas relações.

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.