Cadela de rua que era alimentada por comerciante que faleceu continua visitando local sem saber que mulher não voltará

Por
em Notícias
A cena comoveu as vizinhas da mulher que morreu, que se comprometeram a cuidar da cadela da mesma maneira que a comerciante cuidava.

Não importa quais são as circunstâncias que os animais são tratados, desde que isso aconteça de maneira positiva, eles demonstrarão a sua gratidão até o fim dos seus dias. Assim fez a cadela de rua chamada Bianca a uma mulher que, mesmo sem ter a adotado, a alimentava todos os dias.

Mesmo vivendo pelas ruas de Mendoza, Argentina, Bianca visitava diariamente dona Eugenia, dona de uma livraria. Eugenia retribuía as visitas alimentando e fornecendo água a doce cadela, e o vínculo entre elas foi se fortalecendo.

Isso, no entanto, mudou definitivamente quando dona Eugenia acabou falecendo. Sem saber o que havia acontecido, Bianca continuou comparecendo na livraria à espera daquela que nunca mais voltaria.

A atitude da cadela comoveu Nerina Irrutia, uma comerciante vizinha que tirou uma foto e resolveu compartilhar nas redes sociais. “Eugenia tinha uma livraria ao lado do meu negócio, sem dúvida uma das pessoas mais bonitas que já conheci. Há poucos dias ela faleceu e veja como essa cadela ainda está esperando por ela”, escreveu Nerina na legenda da foto.

A situação comoveu não apenas as vizinhas de dona Eugenia, mas muitas pessoas que viram o relato nas redes sociais e, desde a publicação, algumas pessoas se comprometeram a manter o tratamento que Bianca recebia e continuar a ajudá-la. Esperamos de coração que isso se mantenha e Bianca seja confortada com novos amparos e amigos!

Veja o vídeo:

Como ajudar o seu cão a superar um luto

A história de Bianca lembra o filme Sempre Ao Seu Lado que narra o empenho do cachorro Hachiko em esperar o dono falecido todos os dias pelo resto da sua vida. Algumas alternativas são:

  • Dar mais amor e afeição. Afeto extra ajudará seu cão a passar por esses momentos difíceis. Isso pode significar que você precisará passar mais tempo com seu cão ou fornecer guloseimas especiais para aumentar a ingestão de alimentos, pois muitos pets deixam de comer quando estão tristes.
  • Mantenha sua rotina normal. Uma forma de aliviar o estresse relacionado ao luto em cães é manter sua rotina o mais fiel possível (isto é, alimentá-los e passear nos mesmos horários, como de costume).
  • Seja paciente. Assim como os humanos, os cães precisam de tempo para sofrer e se recuperar. A maioria dos cães sairá do processo de luto e formará novos apegos. Isso pode levar de alguns dias ou semanas.
  • Contate seu veterinário. Se você está preocupado com o comportamento do seu cão, não hesite em entrar em contato com um veterinário. Explique quais são as circunstâncias e quais comportamentos seu cão está exibindo. Obter ajuda é uma ótima maneira de prevenir outra perda potencial, especialmente se você também está sofrendo pela perda de um ente querido.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com