Cavalo é filmado se juntando a grupo de artistas de rua para dançar jazz

Por
em Notícias
Por essa nem o policial que estava montado nele esperava, mas o momento foi adorável; assista.

A importância da personalidade do cavalo policial acaba passando despercebida no cotidiano da maioria das pessoas, mas se olharmos com mais atenção pelo papel que desempenha, veremos que ele é um dos mais corajosos da nossa sociedade.

Por mais treinados que eles sejam, é importante reconhecer que estar à frente de situações estressantes como confrontos, confusões e multidões, exige muita coragem, bravura e paciência. Ou seja, eles são tão heróis quanto as autoridades que acima deles estão. Felizmente, além de confusões, os cavalos policiais também podem desfrutar de bons momentos pelas ruas das comunidades, como aconteceu com esse mascote.

Em um momento de descontração e diversão - antes da pandemia do coronavírus -, um grupo se reuniu para dançar jazz em uma rua de Nova Orleans, Louisiana (EUA), atraindo a atenção de várias pessoas, entre elas um policial e o seu cavalo.

O que ninguém imaginava, é que ao invés dos dançarinos, quem roubaria a cena seria o cavalo que, surpreendentemente, se juntou ao grupo e começou a arriscar alguns passos de jazz. E eu garanto: no melhor estilo.

As pessoas não poderiam deixar o momento passar despercebido e começaram a gravar a cena que logo passou a circular nas redes sociais, como também no Animal Channel. O desempenho deixou os moradores da cidade e do estado muito orgulhosos, que não pouparam elogios nos comentários. Enquanto o policial mantém a pose e tenta se equilibrar, o cavalo não se intimida e aproveita para brilhar. É muito talento!

Veja o vídeo:

Durante o dia, profissional da segurança pública. Nas horas vagas, um artista de rua. Bravo!

Cavalos gostam de música?

Os cavalos gostam de músicas assim como nós humanos. Permitir que eles tenham contato com a música os tornam mais dóceis e se socializam melhor com os humanos. Sua audição é semelhante com a nossa, a diferença é que eles podem detectar sons em tons mais altos e mais baixos do que nós. Diferentemente do caso que aconteceu com o cavalo policial, uma pesquisa comentada no site I Heart Horses afirma que jazz e rock não são os melhores gêneros para tocar para os nossos amigos equinos. O ideal é que a música seja repetida. Os cavalos respondem às vibrações, não às palavras. Eles não vão ficar entediados como nós. Uma coisa é certa: se eles gostam ou não de jazz, o cavalo policial arrasou na sua dança!

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com