Mulher chora ao ver sua cadela com deficiência correr com próteses e vídeo emociona web

Por
em Notícias

O amor de um dono pelo seu bichinho de estimação é como o de um pai pelo filho, logo, as conquistas e superações dele se tornam tão importantes.

A fundadora de um santuário de animais com deficiências ou que viveram situações traumáticas, Jaime Wallace-Griner, se emocionou ao ver um dos cães da fazenda andar pela primeira vez.

O santuário Safe in Austin Rescue Ranch, localizado no Texas, Estados Unidos, em que recebe centenas de visitantes, abriga mais de 150 animais e um deles é a cadela da raça Montanha do Pirineus chamada Halo.

Conforme o Animal Channel, Halo chegou no santuário ainda filhote depois de ter sido abandonada em uma caixa por um criador de cães que decidiu que ela não poderia ser útil por ter nascido com duas protuberâncias frontais (metade do comprimento de uma perna normal e partes do osso faltando), e apenas uma perna traseira ativa.

Acolhida com muito amor pela equipe Safe in Austin, Halo passou por várias cirurgias para tentar melhorar a sua mobilidade, mas teve que amputar uma das pernas traseiras. Mesmo faltando uma parte do seu corpo, Wallace-Griner afirma que Halo nunca perdeu o entusiasmo e sempre se sentiu parte da equipe, literalmente.

Como existem outros cães com condições físicas semelhantes, isso não foi difícil de acontecer, mas felizmente, Halo teve uma grata surpresa recentemente. Em setembro, graças a ajuda e a doação de muitas pessoas, Halo ganhou duas próteses móveis que permitem que ela se equilibre, brinque e corra com mais conforto.

O primeiro momento de Halo com as próteses não poderia ter sido mais emocionante e a dona mostrou quando chorou ao vê-la andar com as suas novas patas. Inicialmente, Halo demonstra estar insegura quanto ao equilíbrio, mas com o apoio e o incentivo da dona, ela se sentiu confiante bastante para andar e dar os primeiros pulos sozinha. Realmente muito lindo!

O vídeo emocionou diversos usuários online e ganhou mais de 285 mil reações no Facebook e centenas de comentários.

Veja o vídeo:

“As próteses dela estão prontas e nós vamos colocá-las em algumas horas. Nosso doce bebê, se tornará um tripé robótico completo! Estou tão nervosa. Já se passaram nove meses, várias cirurgias, milhares e milhares de dólares, e uma das viagens mais loucas, mais gratificantes e especiais com esta doce menina!”, escreveu a equipe na página do santuário no Facebook momentos antes da primeira experiência, que convenhamos, foi muito satisfatória.

Confira o post na íntegra:

Ainda em fase de adaptação, Halo já consegue fazer muitas coisas que antes eram limitadas para a sua condição.

Safe in Austin

Apesar da quantidade de animais, cada um deles possui as suas próprias características, personalidades e qualidades. Com diferentes condições e limitações, grande parte do público que visita o local possui alguma deficiência e, dessa maneira, acaba criando um vínculo único de amor e semelhança com os animais.

Um desses vínculos foi criado entre Harper Wulms e a perua chamada Priscilla, que possui uma pata menor que a outra e por isso ganhou o apelido de ‘pata da sorte’. Já Harper, que ainda é uma criança, tem uma anomalia congênita na mão, mas passou a se sentir mais especial desde que conheceu Priscilla.

“Temos animais que são cegos ou surdos, têm diabetes, paralisia cerebral, deformidades, membros faltando, espinhas quebradas… Todos se tornam parte de nossa família”, disse Wallace-Griner.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com