Cada vez mais chineses apoiam a criação de uma lei contra a crueldade aos animais de estimação

Por
em Notícias

Nos últimos meses, diversas organizações não-governamentais de bem-estar animal da China, aliadas à população, sobretudo a mais jovem, têm pressionado o regime chinês à aprovar leis contra a crueldade e o abuso animal.

Hoje, já existe uma legislação que protege a vida selvagem terrestre e aquática, mas ela não se aplica aos animais de estimação - cães, gatos, hamsters e muitos outros.

Ativistas, estudantes e ONGs que representam a causa têm buscado mudar isso, instando os líderes do país a aprovar uma nova - e forte - legislação sobre o tema.

Batalha tem gerado frutos

Felizmente, essa luta tem dado resultados práticos: duas cidades chinesas, Shenzhen e Zhuhai, proibiram seus cidadãos de comer cães e gatos, sejam eles provenientes do território chinês ou não, informou o jornal britânico Daily Mail .

Em maio deste ano, o Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China sinalizou que poderia proibir a carne de cachorro da mesa de jantar em todo o país, após classificar os cães como animais de companhia em vez de animais ‘de fazenda’. No entanto, nenhuma diretiva oficial foi emitida ainda.

Em outubro, a TV Central da China pediu ao governo que aprove a primeira lei de proteção animal do país "o mais rápido possível", em um raro movimento de um meio de comunicação oficial.

A estação de TV estatal fez esse apelo após um homem ser pego matando um gato de rua com água fervente na rua. Terrível!

Mudança de rumo

“Reconhecidamente, atos antissociais como este são a minoria absoluta em qualquer sociedade”, disse o Dr. Peter Li, especialista em políticas para a China do grupo de bem-estar animal Humane Society International (HSI).
“No entanto, um ato de tal crueldade tem um impacto traumatizante na sociedade em geral e, se tolerado, corre o risco de levar à dessensibilização das pessoas ou, pior ainda, a atos imitadores de crueldade”, acrescentou.
“É por isso que a crueldade contra os animais deve ser estritamente proibida por lei em todo o mundo”, concluiu.

O Dr. Li enfatizou que a China está em uma encruzilhada em termos de crueldade contra os animais.

“A China é um país onde a população de apaixonados por animais está aumentando, e os atos de abuso de animais frequentemente expostos nas redes sociais chinesas normalmente recebem um alto nível de raiva pública”, disse.
“Legislar contra a crueldade contra os animais poderia reunir o apoio da maioria da sociedade chinesa, e estimular os legisladores a criarem uma lei e aplicá-la, garantindo que ela seja aplicada com firmeza em todo o país”.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.