Cadela traumatizada acorda nova dona à noite para agradecer tanto amor recebido

Por
em Notícias

Mesmo com todos os traumas sofridos, físico e psicologicamente, a cadela Niya fez questão de acordar a sua tutora para agradecer pelo carinho que, possivelmente, é o primeiro recebido em sua vida.

Com marcas pelo corpo e rosto, o passado de abusos refletem no comportamento da cadela que vivia em um abrigo em Trenton, Tennessee (EUA), até conhecer a voluntária Kimberley Slown.

Ao visitar o abrigo em que Niya vivia, em 2016, Kimberley sabia que precisava fazer algo por ela, então decidiu acolhê-la. Por meio de sua organização, Arrow Dog Rescue, Kimberley ajudou dezenas de animais, mas nunca havia atendido nenhum caso tão preocupante quanto o de Niya.

Felizmente, ela estava disposta a ajudar o anjinho de quatro patas. Receosa, Niya ainda se esquivava da dona, e logo que chegou na sua nova casa, dormiu por duas noites e um dia.

Respeitando o tempo e o espaço dela, Kimberley fez o possível para deixá-la à vontade. Uma noite, no entanto, ela foi surpreendida com a aproximação espontânea de Niya.

Ela dormia com o braço suspenso, quando sentiu uma respiração próximo ao seu braço. Ao verificar o que se tratava, ele encontrou a doce Niya ali, sentada ao lado da cama cheirando o seu corpo com um olhar muito doce.

“Ela apenas soprou na minha mão e eu acordei e imediatamente prestei atenção nela, acariciando-a e conversando com ela”, disse Kimberly ao The Dodo. “Ela sorriu e se inclinou.”

A adorável cena se repetiu na mesma noite.

“Algumas horas depois, a mesma coisa”, lembra Kimberly. “Foi avassalador. Eu estava chorando.”

A sua maneira, Niya fez questão de agradecer a Kimberly por lhe dar tanto e tudo o que ela mais precisava: amor. Desde então, a cadela teve muitos progressos, passou a se sentir mais à vontade, começou a abanar o rabo e se acomodou em sua primeira cama de verdade. É lindo ver a sua confiança retornando graças ao apoio incondicional da sua nova família.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com