Se o seu cachorro te segue aonde quer que você vá, isso pode ser um problema; entenda

Por
em Notícias

Se o seu cachorro costuma segui-lo com extrema frequência, como se fosse sua própria sombra, isso pode ser um (mal) sinal. Se ele quer estar contigo na sala, na cozinha, no quarto e até no banheiro, é melhor parar tudo e compreender esse hábito.

Por mais que você tenha paciência e não se importe com essa ‘perseguição’ constante, ou mesmo que pense que é uma demonstração de carinho, estamos diante de um problema de comportamento. Algo que seu cachorro está te indicando e você não está entendendo.

Os cães são animais sociais. O vínculo que eles geram com seu dono é muito forte e eles têm um ótimo senso de grupo. Com seu tutor, eles se sentem muito seguros. Sob essas premissas, pode ser que ele simplesmente o siga porque está curioso, porque está com fome ou quer dar um passeio; mas quando esse comportamento é compulsivo, enfrentamos uma questão de dependência.

“O fato de não ter podido explorar um ambiente significa que ele não o controla e não se sente totalmente confortável nele. Então você se torna a zona de conforto deles”, explica o educador canino Jordi Oller.

Também pode ser um problema de falta de autonomia e maturação.

“Esses animais que tanto nos seguem não terminaram de amadurecer o suficiente, porque não sabem tomar suas próprias decisões ou não têm autonomia para cuidar delas. São cães que não estão em contato com as próprias necessidades e nos acompanham nas nossas. Eles são gregários e cooperativos. Eles precisam do grupo”, acrescenta Montse Godia, treinador e chefe do projeto CoopGos.

O veterinário Joan Mariscot se propõe a dar algumas orientações ao cão sobre o que ele pode e o que não pode fazer.

“Onde pode entrar e onde não pode. Se super protegermos demais, pode levar a problemas de comportamento, que também podem se manifestar de várias formas, como ansiedade, agressividade para com as pessoas ou outros cães”, complementou Godia.

Segundo o site La Vanguardia, repreender seu cão por segui-lo é algo, entretanto, que a maioria dos educadores caninos se opõe. Seria como repreendê-lo por amar você. Coisa impensável para muitos. Por isso, a solução para essa ‘perseguição constante’ passa por outro tipo de abordagem. Antes de continuar, pergunte-se:

O seu ambiente está protegido?

O cão precisa controlar a situação para estar confortável. Mesmo que seja a sua casa, se ele te segue é porque está inquieto e não se sente confortável no ambiente onde está.

Você permite que ele descanse?

O descanso é uma das bases do bem-estar animal. Os especialistas recomendam observar se o cão está fazendo isso, uma vez que alguns cães são excessivamente animados e, por essa razão, é muito difícil para eles para relaxar e dormir.

“O cachorro costuma dormir muitas horas, porque quando não tem o que fazer, ele descansa. Muitos donos, porém, acreditam erroneamente que o cão tem que estar cansado de atividades (jogos cognitivos, cheirar, jogar bola...) porque senão, quando chega em casa ele destrói coisas, quando o problema, em qualquer caso, seria outro. Um cachorro acostumado a fazer tantas coisas o seguirá por toda parte para saber o que fazer a seguir”, diz Oller.

Você o ensinou a lidar com a monotonia?

Se você e seu cachorro fazem atividades que envolvem muita adrenalina, e depois você vai para casa e o deixa sozinho por mais de oito horas e, além disso, quer que ele fique calmo... provavelmente é pedir demais.

“O cachorro, por não ter aprendido a ter calma e ficar em casa sem estímulos que o mantenham ativo, não saberá administrar um ambiente tão monótono e isso se tornará uma montanha para ele. Isso criará estresse porque você não dominará a situação”, diz Oller.

Esse comportamento é comum

O filhote que foi separado de sua mãe tem como referência seu companheiro humano para se desenvolver com segurança. Ele ainda tem pouquíssimas ferramentas, pois é um ser dependente devido à idade.

Portanto, neste estágio, é mais comum que os cães o sigam por toda parte.

“Se durante a fase de filhote os mantivermos constantemente ativos, estamos ensinando que a vida é intensa e depois será mais difícil para eles encontrar momentos de descanso, algo tão necessário para um cão”, concluiu Oller.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Últimas histórias