Cachorro entra em rio e é arrastado por correnteza enquanto dona grava vídeo para o TikTok

Por
em Notícias

Quando a peruana Roxana Sánchez se posicionou em frente a um rio para gravar vídeos para a rede social TikTok, ela não imaginava que quem protagonizaria o vídeo seria o seu cachorro chamado Buffy.

Distraída enquanto reproduzia uma dancinha, a dona não percebeu o momento que o seu cachorro entrou na água, se afastou e começou a ser levado pela correnteza.

Roxana demora alguns segundos até perceber o que está acontecendo atrás dela, mas assim que percebe, ela interrompe o vídeo, sai correndo em direção ao seu cachorro e consegue salvá-lo.

“Tive que parar de gravar porque o rio o levou”, escreveu a jovem na publicação.

Em pouco tempo o vídeo se tornou viral, especialmente pela preocupação dos usuários com o desfecho do vídeo e sobre o estado de Buffy.

Segundo o portal de notícias peruano Wapa, a mulher tranquilizou os internautas e passou a compartilhar mais vídeos do Buffy com os seus seguidores. Além disso, Roxana afirmou que seu animal de estimação nunca se afogou porque sabe nadar e até sabe atravessar o rio. De qualquer maneira, é um episódio preocupante, né?

Confira o vídeo viral que gerou mais de 102 mil visualizações no TikTok:

Felizmente tudo terminou bem.

Como dar os primeiros socorros ao seu cão

Os cães são naturalmente bons nadadores em distâncias curtas, mas podem ter problemas. Às vezes, eles se distanciam muito da costa e se cansam de tentar nadar de volta, ou caem em uma piscina e não conseguem subir as escadas. Use as dicas a seguir ao resgatar um cão que está se afogando:

1. O primeiro passo é limpar as vias respiratórias de seu animal de estimação. Filhotes e cães pequenos podem ser mantidos de cabeça para baixo para permitir que a água escorra dos pulmões. Para cães maiores, deite-os de lado e eleve a parte superior do corpo para que a água possa escorrer pelo nariz e pela boca.

2. Verifique se há pulso. Se o coração estiver batendo, mas o animal não estiver respirando, inicie a respiração artificial imediatamente. Feche suavemente a boca do animal e estenda o pescoço do animal para abrir as vias respiratórias. Cubra o nariz do animal com a boca e expire até ver o peito do animal subir. Repita até que ele esteja respirando por conta própria e, em seguida, leve ao veterinário.

3. Se o animal não tiver pulso, a RCP pode ser realizada.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com