Humor: Tiktoker viraliza ao demonstrar como somos viciados em cheiro de cachorro

Por
em Notícias

Há muitas formas de demonstrar amor e carinho pelo seu animal. Enchê-lo de beijos; dar alimentação de qualidade; brincar com ele sempre que puder; cheirar ele e postar no TikTok. Oi?

Uma nova onda de vídeos surgiu no TikTok agora em janeiro demonstrando como donos de pets são viciados no cheirinho de seus animais. Tudo começou quando o usuário JSol, do Vietnã, postou um vídeo em setembro de 2020 cheirando seu gatinho. O que parecia um vídeo inocente, acabou trazendo uma chuva de internautas pegando o seu áudio e fazendo a mesma coisa com os seus bichinhos. Confira abaixo:

Ao procurar o áudio do vídeo percebe-se que já foi usado mais de 72 mil vezes em outros TikTokers. A tiktoker e youtuber Sofia Castor fez o mesmo e viralizou na rede, tendo seu vídeo conquistado mais de 1,7 milhões de visualizações. Nem sempre os vídeos são de cheirando seus bichinhos, mas também cheirando bebês, parceiros e até objetos como travesseiros, pôsteres e motos!

1. A cara desse cachorrinho é hilária. (TikTok @sofiaalcastro)

2. Cheirando cachorrinho... (TikTok @young_ogoo7)

3. Mais um gatinho sendo cheirado... (TikTok @barbararoth12)

4. Cheirando gatinho... (TikTok @callmegrand)

5. Parece que esse husky não curtiu muito ser cheirado. (TikTok @mocachodien)

Aproveitando

Embora, acredito eu, nem todos nós temos o costume de abocanhar nosso melhor amigo - como nos vídeos humorísticos acima -, quase todos nós recebemos lambidas deles. E isso me trouxe uma pergunta: será que existe algum problema nisso?

Graças ao tio Google, eu consegui algumas respostas. Eu posso deixar o meu amiguinho peludo me lamber? Até pode, mas tem que tomar alguns cuidados.

Assim como as línguas humanas, as caninas possuem bactérias. Isso é normal para qualquer cão (e humano também, nem toda bactéria é maligna). Algumas delas, porém, podem ser prejudiciais para nós, capazes de causar doenças que podem ser fatais. Dentre essas bactérias, podem ser:

  • Pasteurella multocida, associada à meningite;
  • Capnocytaphaga caninorsus, associada à septicemia
  • Salmonella typhi, associada à salmonelose.

Mas isso significa que eu nunca posso ser lambido pelo meu bichinho? Você se pergunta. Não. Só siga algumas recomendações:

  • Não deixe o cãozinho te lamber em regiões mucosas (olhos, nariz e boca), nesses locais a chance de transmitir alguma doença é maior;
  • Caso seja lambido, lave o rosto com água corrente depois;
  • Lave as mãos depois de brincar com o doguinho;
  • Dependendo da raça, é recomendado que dê banho nele uma vez por semana, mas caso não conseguir, uma vez a cada quinze dias já ajuda;
  • Tenha a carteira de vacinação dele em dia;
  • Essa parece meio óbvia, mas não deixe ele brincar com lixeiras e afins;
  • Vá ao veterinário ver como está a saúde dele pelo menos uma vez ao ano.

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Estudante de jornalismo que é apaixonado por tudo que tenha super-heróis, dragões e faroeste (ele se pergunta todo dia quando que vai lançar um filme misturando os três). Gosta de ler, com um favoritismo em fantasia (por que será?) e adora ver séries em geral. Ama estudar sobre criatividade e sociologia. Tem uma doguinha perfeita e sem defeitos chamada Athena. Também gosta de cinema e matar tempo nas redes sociais vendo memes.