Câmera registra momento em que cachorro cai de 2º andar de prédio

Por
em Notícias

Assustado, um cachorrinho pulou do segundo andar de um prédio localizado em Riacho Fundo 1, Brasília, e caiu em cima de um carro por volta das 10h30 do último dia 18. Apesar do susto da queda, ele não ficou ferido. O cão, chamado Barney, de 3 anos, foi encontrado por uma moça um dia antes vagando sozinho na rua. A mulher estava em um bar e decidiu resgatá-lo até que os donos fossem encontrados.

No momento do resgate, ela até compartilhou fotos do cão em suas redes sociais à procura dos respectivos donos. Como ela já tinha outro cão em casa, ela ficou com medo que eles brigassem e levou um deles para dormir com ela na residência de seu namorado, enquanto o resgatado ficou sozinho no apartamento.

No dia seguinte, os donos do cão entraram em contato com ela e eles combinaram de pegá-lo após o trabalho, mas no meio da tarde ela pediu para uma amiga ir até a sua casa para alimentar o cãozinho que já não o encontrou mais. Sem saber o que tinha acontecido, a jovem só soube do acidente a noite, quando a polícia chegou em seu apartamento.

Enquanto isso, um vizinho afirmava ter visto uma mulher jogando o cão, cuja informação chegou até a advogada Ana Paula Vasconcelos, especialista em direito animal. Em entrevista ao portal Correio Braziliense, a advogada diz que soube do caso por volta das 16h30 do dia do acidente.

“Eu estava próximo ao prédio e fui lá. Conversei com vizinhos e ninguém tinha visto a moça jogando o cachorrinho. A história estava nebulosa. No vídeo, é possível ver o cachorro caindo, mas não havia como provar nada”, disse.

Como não havia provas concretas, ela registrou um boletim de ocorrência na 29ª Delegacia de Polícia e os policiais compareceram imediatamente no local para averiguar um possível flagrante.

Já no local, os policiais colheram mais informações e foi constatado que o cão não havia sido jogado, já que não havia ninguém em casa na hora da queda. A mulher que o vizinho diz ter visto era do terceiro andar e não possuía nenhum vínculo com o cão ou a sua queda.

“Conseguimos levar todos para a delegacia: a moça que pegou, o rapaz que socorreu, o vizinho que afirmava ter visto outra pessoa jogando o cachorro pela janela. Moral da história: o cachorro passa bem e os tutores buscaram-no com o rapaz que socorreu o cãozinho após a queda”, explicou Ana Paula.

Apesar do desfecho ter sido positivo, a advogada alerta para que as pessoas tenham mais atenção sobre o que é suposição e o que é informação concreta.

“É importante deixar registrado que as coisas nem sempre são o que parecem. Mesmo sem ter visto ninguém arremessando o cachorro, os vizinhos afirmavam com certeza que uma mulher o havia jogado. É preciso tomar cuidado”, afirmou.

No entanto, Ana Paula expressa satisfação em ver pessoas avulsas tentando contribuir com a salvação do cão e solucionar um possível caso de maus-tratos.

“Histórias como essa reafirmam a postura de uma sociedade cada vez mais atenta para o direito dos animais, não suportando qualquer possibilidade de violência”, concluiu.

Você pode assistir o vídeo do acidente clicando aqui.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com