Cachorro labrador segura mamadeira de bezerra rejeitada pela própria mãe vaca

Por
em Notícias

A bezerra Penelope teve muita sorte ao ter sido encontrada a tempo pelo veterinário Graham Oliver e a sua família. Segundo o portal de notícias Daily Mail, Penelope nasceu em um lago congelado perto de Alfreton, na Inglaterra, em fevereiro, e teria perecido se Oliver não tivesse intervindo e a salvado.

Após o seu resgate, no entanto, nem Oliver e nem a sua família imaginaram que ela criaria um laço de muito amor e proteção com o seu cachorro labrador, Algerdon. O cão cedeu a sua própria cama para Penelope e, para protegê-la, passou a dormir ao seu lado, além de amamentá-la com a mamadeira. Penelope não poderia estar recebendo cuidados melhores!

Quando a bezerra foi encontrada, ela estava sob os cuidados da sua mãe que foi superprotetora e agressiva. Oliver, com a ajuda do seu filho Tom, conseguiu resgatar o filhote, com o objetivo de mantê-lo aquecido, caso contrário, ele teria morrido de frio.

Depois de algumas tentativas, o pai e filho finalmente conseguiram distrair a mãe e pegar Penelope, que a essa altura já estava bastante debilitada e com início de hipotermia. Eles a levaram para casa, a limparam e depois de tê-la aquecido, a levaram de volta para a sua mãe, mas ela não aceitou a devolução.

“A mamãe não apenas a rejeitou, provavelmente porque tínhamos lavado seu cheiro, mas fez uma tentativa séria de matá-la. E ela tentou nos atacar também quando tentamos resgatar Penelope pela segunda vez. Usamos quadriciclos para entrar e sair rapidamente e trouxemos o bezerro para o Hall para ser criado à mão”, contou Heidi, esposa de Oliver.

Os próximos acontecimentos, vocês já sabem: ela foi levada para a casa da família, onde se sentiu confortavelmente bem, foi acolhida e mimada pelo cão Algerdon. Penelope tinha profissionais e apaixonados por animais à sua disposição, além de estar cercada de amor das pessoas e animais que vivem na propriedade rural.

Nesse momento, Penelope está instalada na Carnfield Hall, cuja casa de campo é privada, e é o lar de 27 cabeças de gado e um rebanho de lhamas. Lá, todos são mantidos como animais de estimação e a família os descreve como “cortadores de grama de alta manutenção”.

Embora a família siga cuidando de Penelope na casa, eles pretendem alojá-la futuramente no campo com as lhamas, especialmente porque logo ela ficará grande demais até mesmo para passar pela porta.

“Ambos os nossos cães e gatos a aceitaram imediatamente e todos brincam juntos. Embora treinar o banheiro para um bezerro seja um problema. Não tenho certeza de qual é o plano para o futuro - seus chifres vão crescer e ela não vai conseguir passar pela porta da frente - então precisamos começar a planejar. Ela é um bebê [em tempos] de Covid. Superespecial, uma grande sobrevivente e todos nós a amamos muito”, concluiu Heidi.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com