Cadela de 3 patas fica tão feliz ao ganhar prótese para aproveitar melhor a vida

Por
em Cães

Frankie é uma cachorra da raça golden retriever que passou a vida toda sem uma das patas, mas agora a cadelinha tem uma prótese para correr e brincar.

O casal Jodie Reid e Joey Bennet, que moram em Ontário, Canadá, tinham acabado de perder um de seus cãezinhos, Tucker, quando decidiram adotar outro. A motivação da adoção foi para que a sua outra cachorra, Gabby, não ficasse sozinha.

Porém, a cachorrinha recém adotada acabou nascendo com o cordão umbilical enrolado em uma das patas. Isso fez com que o sangue não descesse e a pata ficou deformada.

A cadelinha quase não sobreviveu nos seus primeiros dias de vida e demorou cinco semanas para começar a ganhar peso. O medo era tanto que o criador de Frankie havia separado outro filhote para dar ao casal, caso a cadela não sobrevivesse. Mas com o tempo, a saúde dela começou a normalizar e Frankie tomou as rédeas da vida.

Depois de um tempo, a doguinha pôde ir para casa e ganhou sua prótese, que foi feita sob medida para ela. Agora, pode curtir a vida adoidada ao estilo Ferris Bueller.

“A perna biônica melhorou muito sua qualidade de vida, ela adora.
Na terapia, ela terminou todas as atividades que eles lhe deram; ela tem essa vontade e essa força, ela não teria sobrevivido se não o fizesse.
"Todo o processo não foi barato, mas valeu a pena cada centavo!

Não tenho filhos, então meus animais de estimação são tudo para mim" - declarou Joey.

Segundo uma entrevista dos tutores de Frankie ao Metro, a doguinha passou com facilidade por todos os desafios da adaptação com a perna prostética. Agora, o casal torce para que Frankie consiga se tornar um cão de terapia para ajudar os outros que precisarem.

Bichinhos com menos de 4 patas

Assim como a gente, os animais podem precisar amputar algum membro caso sofram algum acidente. Porém, diferente de nós humanos, eles conseguem se adaptar bem mais facilmente a perda. Bichos que tiveram que amputar alguma perna traseira, por exemplo, conseguem voltar a viver na natureza normalmente.

Os quadrúpedes transformados em trípedes muitas vezes vão compensar o equilíbrio com a cauda. Assim, mesmo sem uma pata, conseguem correr, pular, e dependendo do caso, até caçar para se alimentar.

Aqueles que vivem em bando, como lobos, têm a vida ainda mais facilitada. Os demais vão ceder um pouco de sua comida para que não passem fome. Já os solitários podem ter mais dificuldade.

Para saber mais curiosidades sobre os trípedes, acesse aqui.

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Estudante de jornalismo que é apaixonado por tudo que tenha super-heróis, dragões e faroeste (ele se pergunta todo dia quando que vai lançar um filme misturando os três). Gosta de ler, com um favoritismo em fantasia (por que será?) e adora ver séries em geral. Ama estudar sobre criatividade e sociologia. Tem uma doguinha perfeita e sem defeitos chamada Athena. Também gosta de cinema e matar tempo nas redes sociais vendo memes.