Voluntárias contam como o resgate de gatos abandonados transformaram suas vidas e de centenas de animais

Por
em Gatos

Confira a emocionante história no vídeo abaixo:

Há aproximadamente oito anos, enquanto ia ao mercado, Elisandra Lovison, de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, teve uma atitude que, ela ainda não sabia, mas transformaria a sua vida. Na época, ela enfrentava um momento muito difícil da sua vida pessoal, mas o resgate dos felinos a ajudou a resgatar a si mesma.

Em entrevista ao Amo Meu Pet, Elisandra relembra que encontrou um gatinho preto em uma lata de lixo e, sem hesitar, o resgatou e o levou para casa. Embora já tivesse um gato em casa que, como recorda, não aceitava outros felinos, ela sabia que precisava ajudá-lo. E foi exatamente isso que ela fez. A partir do gatinho preto, centenas de outros felinos passaram pelos seus cuidados até encontrarem lares definitivos.

Em outro cenário e em outras circunstâncias, temos a advogada Elisandra Becker. Embora as duas compartilhassem o mesmo nome e o mesmo município, elas não se conheciam, mas o amor e a preocupação pelos animais as uniriam mais tarde.

Em 2016, pouco tempo depois de ter perdido a sua gatinha devido a uma negligência veterinária causada por uma acadêmica que confundiu o medicamento e acabou aplicando eutanásia na felina, Elisandra Becker decidiu transformar a sua dor em amor adotando três gatinhos da Elisandra Lovison.

Após a adoção, percebendo o valor do trabalho da protetora independente e as dificuldades para exercê-lo, a adotante Becker decidiu ajudar pagando o valor de uma castração. No mês seguinte, o depósito foi referente ao valor de duas castrações, e dali em diante ela sentiu que queria se envolver inteiramente com a causa.

De adotante, Becker passou a contribuir não apenas financeiramente, mas na parte prática do processo. Participando de resgates, cedendo lar temporário, ressocializando, acolhendo, dando amor.

Desde então, as duas Elisandras uniram as suas forças para ajudar centenas de gatinhos, resgatados das mais tristes e inusitadas situações. Todas as decisões sobre o projeto, agora denominado ‘Adote Um Gatinho’, são tomadas em conjunto. A organização é a única dedicada exclusivamente ao resgate e reabilitação de gatos em Passo Fundo e acumula milhares de seguidores nas redes sociais.

Apesar da intensa dedicação das voluntárias, são muitas as dificuldades pelo caminho: testemunhar a maldade humana sobre os bichinhos indefesos, conseguir recursos mês a mês para salvar e reabilitar essas vidas, além de viver integralmente para cuidar dos resgatados. Em média, são realizados cerca de 50 resgates e castrações por mês e os custos são equivalentes a R$ 4 mil.

Clínica veterinária

A médica veterinária Juliana Girardon, proprietária da clínica veterinária Pet Help, desempenha um papel de grande importância nos cuidados prestados aos animais resgatados pelas voluntárias. Na entrevista cedida ao Amo Meu Pet, a profissional detalha como funciona o vínculo entre as partes.

Há quem diga que quando um gato preto cruza o caminho, é sinal de azar. Nesse caso, o gatinho preto que cruzou o caminho da nossa primeira Elisandra significou mudar e salvar centenas de vidas. Inclusive as das voluntárias.

Atualização: Para nossa surpresa e imensa tristeza, Elisandra Lovison faleceu no último dia 27/05/2021, vítima de covid. Foi um choque para nós. Uma pessoa que dedicou sua vida de forma genuína a levar a felicidade em forma de gatinhos para tantas famílias, agora descansa em paz no céu onde, com toda certeza, terá muitos mimis para continuar amando.

Como as pessoas podem contribuir com o projeto

Entre em contato com o Instagram do Adote Um Gatinho: @adoteumgatinhopf

VOTE NO AMO MEU PET COMO MELHOR PERFIL PET:

Estamos concorrendo ao Prêmio iBest desse ano. Contamos com seu apoio para chegarmos no TOP 10 de perfis selecionados.

Acesse o link clicando aqui e deixe seu voto.

Após 24 horas, você pode votar novamente!

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com