Ex-militar chega em voo no Reino Unido com cães e gatos retirados do Afeganistão

Por
em Notícias

No último dia 29, Pen Farthing, um ex-militar naval e fundador de uma ONG registrada no Reino Unido e situada no Afeganistão, relatou no seu perfil do Twitter, a mistura de 'emoções confusas' que sentiu em evacuar seu abrigo do país conturbado.

Como se não bastasse sua incansável luta pelo direito dos animais em um país assolado por crises, sua equipe ainda foi impedida de embarcar.

O homem, junto com outros voluntários, criaram a Operação Arca, em que fretaram um voo para transportar cães e gatos, bem como funcionários e suas famílias levando-os para se refugiarem em Londres.

Segundo o The Guardian, a atitude do ex-fuzileiro desencadeou uma reação mista de opiniões no Reino Unido, onde uma parte da população o apoiou, enquanto Peter Quentin, conselheiro especial do secretário de defesa, tentou impedir o voo.

E como a população estava a seu favor, os vistos foram concedidos para seus 24 funcionários e seus dependentes, contudo, Pen se recusou a sair do país sem seus animais.

E depois de muita luta, na sexta-feira, o Ministério da Defesa (MoD) anunciou que o ex-fuzileiro naval e seus animais estavam no aeroporto de Cabul e a liberação para o voo fretado havia sido patrocinada pelo governo do Reino Unido.

Por algum motivo desconhecido, os funcionários foram impedidos de embarcarem.

O avião carregou cerca de 90 a 100 cães e 60 a 70 gatos. Todos passaram por uma avaliação médica e foram para canis de quarentena. Pen disse: "Como você pode imaginar, não faltam lares para esses animais".

O último voo britânico deixou o Afeganistão no sábado, encerrando o envolvimento militar do Reino Unido de 20 anos no país.

Veja também este vídeo:

O gato Horatio: ele encanta o público de biblioteca com suas fantasias de personagens literários

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo