Príncipe Harry e Meghan Markle adotam beagle resgatada de maus-tratos

Por
em Notícias

O príncipe Harry e sua esposa, Meghan Markle, a duquesa de Sussex, aumentaram a família. Mas dessa vez não é a vinda de um bebê e, sim, a adoção de uma cachorrinha. Ela se chama Mamma Mia e é da raça beagle. O pet é um dos 4.000 cães resgatados do centro de criação e pesquisa Envigo, em Cumberland, na Virgínia, Estados Unidos, em julho.

Saiba mais na matéria abaixo:

Após o resgate, a Mamma Mia, também chamada de Mia, foi encaminhada para o abrigo de animais Beagle Freedom Project, junto dos seus oito filhotes. E durante uma visita no abrigo, Meghan disse a equipe que: “Não, não queremos um cachorrinho de Natal. Queremos aqueles que podemos ajudar e que são mais velhos”.

Foi então que Mia entrou na família real. A cadela tem sete anos e se juntará aos outros cães do casal: o Guy, também da raça beagle, e Pula da raça labrador de pelagem preta. Além de se familiarizar com os filhos: Archie e Lilbet. A família reside em Montecito, Califórnia.

Shannon Keith, presidente e fundadora do Beagle Freedom Project, disse ao Buzz Feed News, que no início desse mês recebeu um e-mail perguntando se ela tinha tempo para uma ligação com um “doador VIP”, e ela concordou sem saber a pessoa com quem conversaria.

Meghan Markle, ligou pessoalmente, mas apenas se identificou como “Meghan” — e Keith disse que teve que pesquisar no Google “Meghan” “atriz” “Montecito” após a ligação para descobrir com quem estava falando. Apesar de não saber exatamente quem estava ao telefone, Keith disse que se conectou imediatamente com a pessoa que conversava.

“Fiquei encantada com ela”, disse Keith. “O tempo todo eu pensava: quem quer que seja essa pessoa, ela é incrível, ela é nossa gente”.

A princípio a duquesa iria adotar um dos animais listados para adoção, porém quando Keith falou que receberia nove cães resgatados da Instalação Envigo, ela se interessou.

Ao chegar no abrigo, a primeira coisa que Meghan fez, foi se agachar para cumprimentar Mia. O que deixou a voluntária muito feliz, pois um dos seus testes com os adotantes é vê-los recepcionando o cão que será adotado.

“Mia apenas correu para eles, algo que ela nunca tinha feito – ela está bastante subjugada, ela está traumatizada – e Meghan imediatamente deitou no chão com ela e estava dando seu amor”, disse Keith.

Quando Harry se sentou em um sofá, ela acrescentou: “Mia correu até ele, colocou as patas nos joelhos dele e olhou nos olhos dele”. Keith disse que Harry havia feito sua pesquisa e enchido ela e sua colega voluntária Malina Shirley, que levou Mia e seus filhotes da Costa Leste para a Califórnia, com perguntas.

“Ele perguntou sobre o caroço em seu queixo, se precisava de uma biópsia, seus amores, seus desgostos”, disse Keith. “Foi realmente emocionante, era tudo o que você gostaria que [um potencial adotante] perguntasse e muito mais.”

Assinada a papelada para adoção. O trio estava indo embora, contudo a cachorrinha que estava no colo de Meghan, começou a cheirar o prédio. Foi então que o príncipe percebeu que ela queria algo e pediu para retornarem até o local que ela dormia. No local, a cachorrinha pegou seu brinquedo favorito que havia recebido assim que chegou no abrigo.

“Foi tão sensível e intuitivo”, disse ela. “Naquele momento, eu sabia que ela teria a melhor casa.”

Confira:

Mia encontrou um lar que a amará incondicionalmente.

Você conhece alguma outra história fascinante sobre animais de estimação? Então clique no link abaixo e envie para nós a sua pauta, ela pode virar uma matéria exclusiva do nosso portal.

Envie uma História - Seu PET pode virar uma matéria em nosso site!